Em mercados / politica

Bebianno diz que não renunciará e que está "triste e perplexo"

A declaração foi dada após Carlos Bolsonaro publicar mensagem desmentindo o ministro

Gustavo Bebianno
(José Cruz/Agência Brasil)

Depois de ser acusado pelo vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, de mentir, o ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, afirmou que não tem intenção de renunciar ao cargo.

"Não tenho essa intenção porque não fiz nada de errado. Meu trabalho continua sendo em benefício do Brasil. O presidente, se entender que eu não deva mais continuar, ele certamente vai me comunicar", disse durante entrevista à "Globo News" na noite desta quarta-feira (13).

A declaração foi dada após Carlos publicar em sua conta no Twitter uma mensagem desmentindo Bebianno, que dissera ter conversado com Bolsonaro por pelo menos três vezes sobre as denúncias de que o PSL utilizou candidaturas laranjas para desviar dinheiro do fundo eleitoral nas últimas eleições.

Ontem, após receber alta do hospital Albert Einsten, Bolsonaro também disse, durante entrevista à TV Record, que Bebianno mentiu ao afirmar ao jornal "O Globo" que os dois conversaram sobre rumores de crise no governo.

Além disso, o chefe de Estado informou que determinou que uma investigação seja aberta para apurar os possíveis desvios de recursos do Fundo Partidário ao PSL e, se caso for confirmado o envolvimento de Bebianno no esquema, ele irá "voltar às suas origens".

Quer investir melhor e proteger seu dinheiro das incertezas? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

Entretanto, o ministro voltou a negar que mentiu sobre as conversas com o mandatário brasileiro e ressaltou ter ficado "triste e perplexo" ao ver as notícias sobre as publicações nas redes sociais. Além disso, ele afirmou que não cometeu irregularidades no caso das candidaturas laranjas. (ANSA)

 

Contato