Em mercados / politica

TSE quer ajuda do WhatsApp para combater fake news sobre eleições

Terão foco principalmente as notícias falsas que atingem a imagem da Justiça Eleitoral. 

Whatsapp
(Rahul Ramachandram / Shutterstock.com)

SÃO PAULO -- Nos próximos dias, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deve se reunir com representantes do WhatsApp para discutir a disseminação de fake news na campanha eleitoral brasileira, em especial “aquelas que atingem a imagem da Justiça Eleitoral e a segurança do sistema”. As informações são do Estado de S. Paulo.

O TSE ainda pretende usar seu próprio site pra catalogar as notícias falsas dirigidas à Justiça Eleitoral para desmistificar os boatos que circulam e reforçar a confiança nas urnas eletrônicas.

Outra medida para combater as notícias falsas parte da Corte Eleitoral, que está trabalhando em um aplicativo onde usuários poderão denunciar as fake news. Ainda não se sabe, entretanto, se ele será lançado antes do dia 28 de outubro, quando acontece o segundo turno.

Segundo o jornal, o assunto foi debatido durante uma reunião do Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições que aconteceu nesta quarta-feira (10), a primeira reunião durante o período eleitoral. Outro encontro do conselho deve acontecer no próximo dia 22, com participação das plataformas WhatsApp, Facebook e Google.

No primeiro turno das eleições, que aconteceu no último dia 7, vídeos manipulados e gravados por eleitores apontavam uma possível fraude nas urnas eletrônicas -- a imagem mostrava o voto preenchendo automaticamente para "13" quando o eleitor digitava 1. O TSE e a Justiça Eleitoral negaram a veracidade dos vídeos e ainda explicaram como foi feita a manipulação de imagem.

 

Contato