Em mercados / politica

CNT/MDA: Lula possui 37,3% das intenções de voto; Bolsonaro tem 18,8%

Pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação

Lula e Bolsonaro
(Reprodução/ Ricardo Stuckert e Câmara)

SÃO PAULO - Considerando apenas o cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o representante do PT nas eleições, a CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou nesta segunda-feira (20) os resultados da pesquisa eleitoral MDA realizada entre os dias 15 e 18 de agosto de 2018, mostrando o petista bem à frente em todos os cenários em que participa. 

No cenário de pesquisa de intenção de voto estimulada, Lula segue na liderança, aparecendo com 37,3% das intenções de voto, uma alta de 4,9 pontos percentuais na comparação com maio, quando o petista tinha 32,4% das intenções de voto. Contudo, é praticamente improvável que o ex-presidente, condenado em segunda instância na Operação Lava Jato e preso desde abril, participe das eleições. 

Enquanto isso, Jair Bolsonaro passou de 16,7% para 18,8% no mesmo período, uma variação positiva de 2,1 pontos percentuais. Marina Silva teve queda de 2 pontos, passando de 7,6% para 5,6%, enquanto Geraldo Alckmin teve leve variação positiva, passando de 4% para 4,9%. Ciro Gomes passou de 5,4% para 4,1%, enquanto Álvaro Dias teve variação positiva de 2,5% para 2,7%. 

Na pesquisa espontânea, Lula aparece com 20,7% (ante 18,6% em maio) e Bolsonaro tem 15,1% das intenções de voto, ante 12,4% em maio. Alckmin teve variação positiva de 1,3% para 1,7%, seguido por Ciro, que foi lembrado por 1,5% dos eleitores, ante 1,7% da última pesquisa. Álvaro Dias foi lembrado por 1,3%, praticamente o mesmo patamar dos 1,2% da pesquisa CNT/MDA de maio. Marina completa a lista dos que pontuam, com 1,1% das intenções de voto, ante 1% do último levantamento. 

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%. O levantamento junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação BR-09086/2018.

A MDA também questionou os eleitores se consideram a decisão de voto como definitiva ou se ainda podem mudar de ideia até o dia das eleições. 82,3% dos eleitores de Lula consideram a a sua decisão de voto como definitiva e 17,7% avaliam que ainda podem mudar. A certeza de voto é seguida pelos eleitores de Bolsonaro - 70,7% -, sendo que 9,3% acreditam que ainda podem mudar a decisão de voto. Álvaro Dias (64,8% definitivo versus 35,2% podendo mudar), Ciro Gomes (37,3% versus 62,7%), Alckmin (36,7% versus 63,3%) e Marina Silva (33,9% versus 66,1%) aparecem na sequência. 

 William Waack e Rossano Oltramari mostram quem deve vencer a eleição e como ganhar com isso

A pesquisa  não apresentou cenário sem o ex-presidente Lula, mas avaliou quem eventualmente receberia os votos destinado a Lula caso ele não possa disputar o pleito. Ao considerar apenas o universo de eleitores que inicialmente declararam voto em Lula (37,3%), o ex-prefeito Fernando Haddad, vice na chapa de Lula, ficou em primeiro lugar, com 17,3% das intenções de voto, seguido de Marina Silva e Ciro Gomes, com 11,9% e 9,6%, respectivamente. Jair Bolsonaro (6,2%) e Geraldo Alckmin (3,7%) aparecem em seguida como os "herdeiros" de Lula. Somados, votos brancos e nulos e índice de indecisos representam 47,9% do total.

Segundo turno

A MDA ainda testou sete cenários para o segundo turno, com Lula vencendo todos os seus adversários caso consiga entrar na disputa. Enquanto isso, exceto na disputa com Lula, Bolsonaro aparece numericamente na frente em todos os cenários em que é confrontado, mas dentro do limite da margem de erro. 

Cenário 1
Lula – 49,4%
Ciro – 18,5%
Brancos/nulos – 27,2%
Indecisos – 4,9%

Cenário 2
Lula – 49,5%
Alckmin – 20,4%
Brancos/nulos – 25,2%
Indecisos – 4,9%

Cenário 3
Lula – 50,1%
Bolsonaro – 26,4%
Brancos/nulos – 19,1%
Indecisos – 4,4%

Cenário 4
Lula – 49,8%
Marina – 18,8%
Brancos/nulos – 26,7%
Indecisos – 4,7%

Cenário 5
Bolsonaro – 29,4%
Ciro – 28,2%
Brancos/nulos – 32,7%
Indecisos – 9,7%

Cenário 6
Bolsonaro – 29,4%
Alckmin – 26,4%
Brancos/nulos – 35%
Indecisos – 9,2%

Cenário 7
Bolsonaro – 29,3%
Marina- 29,1%
Brancos/nulos – 33,3%
Indecisos – 8,3%

Rejeição dos candidatos

Entre os candidatos, Bolsonaro aparece com maior rejeição entre os eleitores, com 53,7% afirmando que não votariam no candidato do PSL de jeito nenhum. Já para 13,7%, ele é o único em quem votariam, enquanto 21,6% avaliam que ele seria um candidato em que poderiam votar. Não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar somaram 7,4%.

Em seguida na escala de rejeição, Marina Silva tem 52,7% de rejeição, enquanto 2,8% afirmam que ela seria a única em que votaria. Já 38% apontam que ela é uma candidata em que poderiam votar, enquanto 2,6% não conhecem a ex-senadora da Rede. 

Na sequência, está Alckmin, com 52,5% avaliando que não votariam nele de jeito nenhum, enquanto só 2,3% apontam o tucano como o único que votariam. Já para 33,6%, ele é um candidato em quem poderiam votar. Não o conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu somam 6,9%.

Meirelles (46,8%) e Ciro Gomes (44,1%) aparecem na sequência da escala de rejeição, enquanto 41,9% apontam que não votariam de jeito nenhum em Lula. 27,9% não votariam de jeito nenhum em Alvaro Dias, enquanto ele também apresenta a maior taxa de desconhecimento: 55,2%.

Quer investir pagando apenas R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear.

 

Contato