Em mercados / politica

Partidos nanicos desbancam tubarões da política em ranking de seguidores nas redes sociais

Segundo levantamento da consultoria Bites, o PSC lidera com folga o ranking, com cerca de 21 milhões de seguidores no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube

Jair Bolsonaro
(Divulgação/Facebook)

SÃO PAULO - Um levantamento realizado pela consultoria Bites com parlamentares no exercício do cargo mostra que o PSC (Partido Socialista Cristão) é o partido com o maior volume de fãs e seguidores somados em quatro redes sociais. O resultado contrasta com o tamanho da bancada da sigla na Câmara, com 11 de um total de 513 deputados, e no Senado, com apenas um dos 81 titulares da casa.

Segundo a pesquisa, que não desconsidera efeitos de duplicidade entre os usuários contabilizados, o PSC conta com cerca de 21 milhões de seguidores no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube. No último levantamento feito pela consultoria, o partido tinha 10,9 milhões de seguidores.

A sigla se destaca pela atividade de parlamentares evangélicos, além da dupla Jair Bolsonaro (RJ) e Eduardo Bolsonaro (SP), que contribuíram para o resultado obtido na web. O deputado carioca está de saída do partido, mas o processo de migração ao PEN (Partido Ecológico Nacional) ainda não foi consumado.

Um dos motivos para a disparada do indicador foi a volta do Irmão Lázaro à bancada da sigla na Câmara. O deputado e cantor evangélico, que havia se licenciado do cargo para atuar como secretário municipal de Relações Institucionais na gestão de ACM Neto (DEM) em Salvador (BA), conta com 8,5 milhões de seguidores em seus perfis nas quatro redes sociais.

Sem ele, a sigla continuaria na liderança da pesquisa graças às audiências de Marco Feliciano (5,3 milhões), Jair Bolsonaro (5,1 milhões) e Eduardo Bolsonaro (1,7 milhão).

Outros partidos
O PSDB manteve a segunda posição do ranking. Seus 46 deputados e 11 senadores somam 11,3 milhões de seguidores nas redes sociais. No entanto, o partido foi o único a apresentar uma queda no índice entre um levantamento e outro. Segundo a equipe da Bites, quase metade do resultado tucano depende de Aécio Neves, que perdeu 8% dos fãs. Sozinho, o senador tem 5,3 milhões de seguidores. Os pesquisadores lembram ainda que a audiência do partido só não foi mais afetada porque José Serra voltou ao Senado, após passagem pelo Ministério das Relações Exteriores, trazendo à conta 1,8 milhão de fãs.

Um dos destaques da pesquisa foi o Podemos, antigo PTN, que saltou da 20ª posição para a 3ª, com uma disparada de 1.825% no volume de seguidores, graças ao ingresso dos senadores Romário (ex-PSB) e Álvaro Dias (ex-PV). O ex-jogador tem 6,1 milhões de seguidores -- a segunda maior marca no Congresso. Já o senador paranaense, cotado como um dos possíveis candidatos à presidência em 2018, tem 1,3 milhão de fãs.

O cerco da Lava Jato não foi suficiente para barrar o crescimento do PT nas redes. O partido ocupa a quarta posição no ranking da Bites e segue crescendo. Com 58 deputados e 9 senadores, conta com um total de seguidores de 6,6 milhões nas quatro redes, o que corresponde a uma alta de 28% em relação ao último levantamento, mesmo com o impeachment de Dilma Rousseff e as investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Enquanto partidos de menor porte se destacam nas redes, o PMDB -- maior bancada do Congresso -- apresenta desempenho aquém de seu tamanho real. A sigla, com 63 deputados e 22 senadores, ocupa a sexta posição do ranking, com 5,3 milhões de seguidores.

Também ganhou destaque o PSOL. A sigla ocupa a 9ª posição, superando o próprio DEM, do presidente da Câmara Rodrigo Maia (RJ). A legenda, com bancada de apenas seis deputados, conta com a audiência de Jean Willys (RJ), com 1,9 milhão de seguidores -- mais da metade dos 3,4 milhões totais do partido.

Os demais partidos que estão no topo do ranking são PR, PRB, DEM e SD, que somam 106 parlamentares e 16 milhões de fãs e seguidores.

 

Contato