Em mercados / politica

Hélio Costa vê com bons olhos fusão entre teles, mas diz que nada foi definido

Ministro declarou que mudanças na legislação do setor já estão em estudo; hoje haverá uma reunião com Dilma e Lula

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Corroborando os rumores de que um funcionário do alto escalão do Governo Federal apóia a operação de fusão entre Telemar e Brasil Telecom, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse na última segunda-feira ver com bons olhos uma participação mais expressiva de um grupo nacional na área de telefonia fixa.

"Quando você vê uma empresa nacional querendo se juntar a um outro capital nacional, tem sim o meu apoio e a minha simpatia", comentou.

O ministro informou ainda que mudanças na legislação do setor, principalmente na que impede duas operadoras que atuam em regiões diferentes de seu unir, já estão em estudo. Hoje haverá uma reunião com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Hélio Costa ressaltou, no entanto, que não existe nada definido ainda. "O assunto está quente, mas não tem nenhum decreto saindo do forno. A discussão tem que ser ampla e passar pelo Congresso. Não é de interesse do governo discutir essa questão isoladamente".

Golden share
O ministro informou ainda que o Governo estuda participar de forma mais ativa de um eventual processo de fusão entre empresas de telecomunicações. Uma alternativa seria a de o governo ter uma golden share, ação especial que confere ao seu detentor o poder de vetar decisões importantes da empresa.

 

Contato