Em mercados / politica

Saiba o impacto das eleições sobre as companhias elétricas

Resultado do pleito, segundo o Pactual, deve ser positivo para a Celesc, negativo para a Copel e neutro para Eletrobrás

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Os resultados do segundo turno das eleições devem ter impactos variados sobre as companhias elétricas, avaliam os analistas do Pactual em relatório divulgado nesta segunda-feira (30).

O impacto do pleito, segundo o banco carioca, deve ser negativo para a Copel, neutro para Eletrobrás, Equatorial e CCR e positivo para a Celesc.

Reeleição do presidente Lula
Na opinião dos analistas do Pactual, a reeleição do presidente Lula deve ter impacto neutro sobre os papéis de Eletrobrás, Equatorial e CCR.

O banco acredita que o cenário da reeleição de Lula já estava precificado, sem mudanças nas políticas de investimento e de privatização das estatais nem no processo de concessão das rodovias federais.

Requião vence e Copel deve sofrer
Já para a Copel, a reeleição de Roberto Requião (PMDB) no governo paranaense deve ser negativa, avaliam os analistas.

Isso porque práticas populistas, como descontos nas contas de energia elétrica, devem ser mantidas em seu segundo mandato.

Celesc pode ser privatizada
Por fim, o Pactual revela que a vitória de Luiz Henrique da Silveira, outra reeleição, deve ser positiva para a estatal catarinense.

O governador já havia revelado que, em um eventual segundo mandato, privatizaria a Celesc, o que é visto com bons olhos pelos analistas.

 

Contato