Em mercados / politica

Possibilidade de segundo turno impulsionou papéis da Eletrobrás

Pesquisas mostram a redução da vantagem de Lula e elevam possibilidade de privatização da elétrica no novo governo

v class="show-for-large id-0 cm-clear float-left cm-mg-40-r cm-mg-20-b" data-show="desktop" data-widgetid="0" style="">
SÃO PAULO - Os resultados das novas pesquisas a respeito da eleição presidencial impulsionaram as ações da Eletrobrás nesta segunda-feira (25), a menos de uma semana do pleito.

A vantagem entre o percentual de Lula e a soma dos percentuais dos outros candidatos caiu pela metade, refletindo os impactos do "caso dossiê" e elevando a probabilidade de realização de segundo turno.

A percepção do mercado é de que uma vitória de Alckmin poderia resultar na privatização da Eletrobrás, embora a assessoria do candidato tucano negue os planos para se desfazer da estatal.

Segundo turno não está precificado, diz Pactual
Segundo os analistas do Pactual, o preço atual dos papéis da elétrica ainda não considera a realização do segundo turno, perfazendo uma boa oportunidade de compra.

Os analistas ainda ressaltam a elevada liquidez dos papéis e o fato de que o dividend yield mínimo dos papéis PN em 2006 será de 6,5%.

Papéis ON e PN em alta
Com a notícia, as ações preferenciais classe B da Eletrobrás avançaram 6,06% nesta segunda-feira, acompanhadas pelas ordinárias (+6,27%).

 

Contato