Petróleo fecha em leve queda após sessão volátil, entre proibição de exportação na Rússia e juros altos pelo mundo

Os ganhos foram limitados quando os bancos centrais globais sinalizaram a continuação de uma política restritiva.

Reuters

Publicidade

Os preços do petróleo fecharam em queda após negociações voláteis nesta quinta-feira, que chegaram a registrar mais cedo uma alta de até 1 dólar por barril depois que uma proibição russa às exportações de combustíveis tirou momentaneamente o foco nos ventos contrários da economia ocidental.

Os futuros do Brent para entrega em novembro caíram 0,23 dólar, para 93,30 dólares o barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) caiu 0,03 dólar, para 89,63 dólares. Ambos os contratos de referência subiram e caíram mais de 1 dólar nesta quinta-feira.

A Rússia proibiu temporariamente as exportações de gasolina e diesel para todos os países fora de um grupo de quatro ex-estados soviéticos, com efeito imediato, a fim de estabilizar o mercado interno de combustíveis, informou o governo russo nesta quinta-feira.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Leia também

A escassez, que forçará os compradores de combustível da Rússia a comprar em outros lugares, fez com que os futuros do óleo para aquecimento Hoc1 subissem quase 5% nesta quinta-feira.

“À medida que o diesel e o gasóleo provavelmente avançam para novas máximas, estarão posicionados para proporcionar alguma pressão ascendente nos mercados de petróleo bruto”, disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

Continua depois da publicidade

O Fed manteve na quarta-feira as taxas de juros, como amplamente esperado, mas endureceu sua postura com projeção de um novo aumento dos juros até o final do ano.

Isso poderia atenuar o crescimento econômico e a demanda global por combustível. O dólar norte-americano atingiu o seu valor mais alto desde o início de março, tornando o petróleo e outras matérias-primas mais caras para os compradores que utilizam outras moedas.