Petróleo fecha em queda, com decisão da Opep+ incorporada previamente aos preços

O movimento de baixa também desafiou eventual suporte que poderia vir do primeiro naufrágio no Mar Vermelho decorrente de navio atacado pelos houthis

Estadão Conteúdo

Publicidade

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta segunda-feira, 4, revertendo alta inicial da virada da madrugada, com os investidores assimilando a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e Aliados (Opep+) de estender cortes voluntários na produção até o fim do segundo trimestre, um desdobramento previamente incorporado nos preços. O movimento de baixa também desafiou eventual suporte que poderia vir do primeiro naufrágio no Mar Vermelho decorrente de navio atacado pelos houthis.

Na Internacional Commodity Exchange (ICE), o Brent para maio fechou em baixa de 0,90% (US$ 0,75), aos US$ 82,80 por barril. Enquanto isso, na New York Mercantile Exchange, o WTI para abril fechou com ganhos de 1,54% (US$ 1,23), a US$ 78,74 o barril.

No domingo, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Argélia concordaram com as medidas de prolongamento da produção restrita, que se somam às rodadas anteriores de cortes de produção programadas para permanecer até o final de 2024. Isso manterá a oferta de petróleo restrita à medida que a procura nos países do Hemisfério Norte cresce nos meses de verão, de acordo com a S&P Global Commodity Insights.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Rússia, cujas exportações continuam sob sanções impostas pelos países ocidentais após a invasão da Ucrânia em fevereiro de 2022, anunciou cortes de produção que reduzirão as suas exportações mês a mês. O país reduzirá a sua produção de petróleo bruto em 350 mil barris por dia em abril, em 400 mil barris por dia em maio e em 471 mil barris por dia em junho.

Mas a tentativa da Opep+ de evitar um excedente global e reforçar os preços já tinha sido precificada na semana passada e não ofereceu ímpeto adicional nesta segunda-feira, conforme os analistas. Na semana passada, o Brent acumulou alta de cerca de 3,40% e o WTI avançou 4,55%.

No Brasil, a produção de petróleo em janeiro foi de 3,519 milhões de barris por dia (bpd), queda de 1,8% em relação a dezembro de 2023. A produção de gás natural caiu 1,7%, para 153,9 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d) em todo País, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Continua depois da publicidade

*Com informações da Dow Jones Newswires