Petróleo fecha em queda após dados dos EUA, mas fecha fevereiro com ganhos

As negociações entre Israel e o Hamas seguiam no radar, mas o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse ser pouco provável que um acordo de cessar-fogo fosse alinhavado até segunda-feira

Estadão Conteúdo

Publicidade

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda, acelerando a baixa no fim do dia após oscilarem dentro de uma faixa estreita durante boa parte da sessão. Sem assumirem novas posições relevantes neste último pregão do mês, os operadores monitoravam o comportamento do dólar, que subia, após dados de inflação em linha com as expectativas em janeiro nos Estados Unidos. O indicador, contudo, manteve a aposta de que o Fed seguirá cauteloso e só deve iniciar qualquer alívio monetário em junho. As negociações entre Israel e o Hamas seguiam no radar, mas o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse ser pouco provável que um acordo de cessar-fogo fosse alinhavado até segunda-feira.

Na Internacional Commodity Exchange (ICE), o Brent para maio fechou em baixa de 0,29% (US$ 0,24), aos US$ 81,91 por barril. Enquanto isso, na New York Mercantile Exchange, o WTI para abril fechou em queda de 0,36% (US$ 0,28), a US$ 78,26 o barril. No mês, o Brent acumulou alta de cerca de 1,70% e o WTI avançou 3,18%.

Em relação ao conflito em Gaza, Biden acrescentou que Washington está verificando “versões contraditórias” de disparos em um local da Faixa de Gaza, onde estava sendo distribuída ajuda humanitária.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Já a Rússia aprovou a suspensão das exportações de gasolina por seis meses, de 1º de março a 31 de agosto deste ano, de acordo com a agência de notícias Tass. A decisão tem o intuito de apoiar a situação estável do mercado de combustíveis durante a alta temporada relacionada às operações dos campos da primavera, às férias e à paragem programada nas refinarias. A informação já circulava nos mercados na véspera.

O petróleo Brent deverá subir pouco no segundo semestre do ano, antes de atingir cerca de US$ 88 o barril no início de 2025, de acordo com uma pesquisa com analistas compilada pelo The Wall Street Journal. A sondagem apontou que o valor de referência internacional do petróleo deve ser, em média, de US$ 84,37 e US$ 84,40 no terceiro e quarto trimestres, respectivamente. A média do prognóstico para o WTI é de US$ 80,32 por barril no terceiro trimestre e US$ 80,12 por barril no quarto, mostrou a pesquisa. No primeiro trimestre do próximo ano, o Brent deverá atingir uma média de US$ 88,33 o barril e o WTI, de US$ 84,67 o barril.

* Com informações da Dow Jones Newswires