Petróleo fecha em alta com relatos sobre prolongamento de corte da produção da Opep+

Paralelamente, autoridades do grupo terrorista Hamas contestaram nesta terça-feira que um acordo de cessar-fogo da guerra na Faixa de Gaza estaria próximo de acontecer, de acordo com a Sky News

Estadão Conteúdo

Refinaria de petróleo PCK Schwedt em Schwedt, Alemanha (Krisztian Bocsi/Bloomberg)

Publicidade

Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, impulsionados por notícia de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) estuda estender seus cortes voluntários na produção no segundo trimestre. Mercado segue ainda acompanhando as notícias sobre o conflito em Gaza em meio a informações desencontradas sobre avanço nas negociações para a busca de um cessar-fogo.

Na Internacional Commodity Exchange (ICE), o Brent para maio fechou com ganhos de 1,21% (US$ 0,99), aos US$ 82,66 por barril. Enquanto isso, na New York Mercantile Exchange, o WTI para abril avançou 1,66% (US$ 1,29), a US$ 78,87 o barril. O contrato seguia com dificuldades para manter o ímpeto em direção à marca dos US$ 79,00. A cada investida rumo ao patamar, vendedores reaparecem para conter o avanço, segundo analistas.

Fontes da Opep+ disseram ainda que uma prorrogação mais longa da redução da produção até o final do ano é possível, segundo a Reuters.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Paralelamente, autoridades do grupo terrorista Hamas contestaram nesta terça-feira que um acordo de cessar-fogo da guerra na Faixa de Gaza estaria próximo de acontecer, de acordo com a Sky News. O posicionamento coloca em dúvida a possibilidade de uma trégua no conflito antes do início do Ramadã, no dia 10 de março. Na segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que tinha esperanças sobre a possibilidade de um acordo de cessar-fogo na próxima semana.

Relatos de que a Rússia está proibindo as exportações de gasolina por seis meses são citados como outro apoio para os preços do petróleo.

*Com Dow Jones Newswires