P-32, da Petrobras (PETR4), chega a estaleiro no RS para um ano de desmantelamento e reciclagem

A P-32 foi vendida em leilão para a Gerdau em julho, que vai aproveitar a sucata originada do desmantelamento

Estadão Conteúdo

Logotipo da Petrobras no prédio da sede da empresa no centro do Rio de Janeiro (Wagner Meier/Getty Images)

Publicidade

A Petrobras (PETR4) informou que o navio-plataforma P-32 chegou na quinta-feira, 14, ao Estaleiro Rio Grande, no Rio Grande do Sul, após uma semana de viagem desde a desancoragem do Campo de Marlim, na Bacia de Campos, Rio de Janeiro. A unidade será submetida a um processo de reciclagem seguindo as “melhores práticas ESG” (Ambiental, Social e Governança, na sigla em inglês), o que os executivos da empresa vêm chamando de “descomissionamento verde”.

O desmantelamento do equipamento vai levar cerca de um ano, segundo a estatal.

A P-32 chega ao Rio Grande do Sul quando a Petrobras conclui o leilão de venda de outra plataforma, a P-33, que deve chegar ao estaleiro em meados de 2024 para procedimento similar.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Petrobras planeja destinar mais de US$ 11 bilhões às atividades de descomissionamento nos próximos cinco anos, envolvendo a destinação sustentável de 23 plataformas, o fechamento definitivo de mais de 550 poços e a remoção de quase 2 mil quilômetros de linhas flexíveis.

Venda para Gerdau

A P-32 foi vendida em leilão para a Gerdau (GGBR4) em julho, que vai aproveitar a sucata originada do desmantelamento realizado pela Ecovix. A desmontagem das estruturas ocorrerá no estaleiro e, na sequência, a Gerdau utilizará a sucata metálica gerada como matéria-prima para produção de aço em sua unidade de Charqueadas (RS). Outros materiais serão enviados para descarte seguro, com algo perto de 100% da unidade sendo reciclada.

Continua depois da publicidade

A P-32 será a primeira plataforma flutuante a seguir o novo modelo de destinação sustentável de embarcações adotado pela Petrobras. Outras 11 unidades flutuantes seguirão nos próximos 5 anos a mesma diretriz.

A Petrobras já disse que o plano de reciclagem da plataforma, elaborado pela Gerdau-Ecovix, foi aprovado pela estatal e abarca desde os primeiros procedimentos de recebimento da unidade, passando pelos trabalhos de desmontagem em dique seco até a destinação final dos resíduos decorrentes do desmantelamento. A execução do plano será acompanhada pela Petrobras.

O descomissionamento faz parte do ciclo de vida de um sistema de produção e consiste em um conjunto de atividades associadas à interrupção definitiva das operações de uma plataforma e equipamentos associados, quando se esgotam as oportunidades de extensão ou manutenção da produção.