Ouro fecha em queda, com recuperação do dólar, mas se mantém acima de US$ 2 mil

Analistas destacam que, a médio prazo, a perspectiva é de avanço para a commodity

Estadão Conteúdo

Publicidade

O contrato futuro mais líquido do ouro fechou em leve queda nesta quarta-feira, 20, mas se manteve confortavelmente acima da marca de US$ 2 mil por onça-troy, pressionado pela recuperação do dólar. Entretanto, analistas destacam que, a médio prazo, a perspectiva é de avanço para a commodity.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro de 2024 fechou em baixa de 0,21%, a US$ 2.047,70 por onça-troy.

Apesar da queda desta quarta, o AJ Bell destaca que, no fim, acabou sendo um ano positivo para o ouro, com retornos de dois dígitos.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O banco avalia que a perspectiva de corte dos juros das principais economias, mas especialmente nos EUA, é um vento favorável para a commodity, pois aponta para uma redução no custo de oportunidade de detenção do metal precioso, que, ao contrário de outros ativos, não gera rendimentos. “Uma subida de 10% no preço do ouro no último trimestre de 2023 sugere que o mercado já acordou para a perspectiva de cortes nas taxas de juro e, portanto, o progresso em 2024 dependerá, em parte, de quando esses cortes forem concretizados e em que medida.”

Na visão de Craig Erlam, da Oanda, o ouro segue em consolidação desde a semana passada, se situando ainda confortavelmente acima de US$ 2 mil por onça-troy.

Entretanto, o analista chama atenção que o movimento do metal dependerá dos dados dos Estados Unidos, que incluem o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês).

Tópicos relacionados