Ouro fecha dia e semana em alta, em meio a otimismo com Fed menos agressivo

Foi uma semana positiva para o metal, visto que há sete dias o ouro lutava para conseguir se manter acima de US$ 2.000

Estadão Conteúdo

Publicidade

O contrato mais líquido do ouro fechou mais uma semana com ganhos, mantendo-se acima de US$ 2.080 nesta sexta-feira, 1º de dezembro, e se aproximando do nível mais alto em 2023. Foi uma semana positiva para o metal, visto que há sete dias o ouro lutava para conseguir se manter acima de US$ 2.000.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro fechou a sexta-feira em alta de 1,57%, a US$ 2.089,70 por onça-troy. Na semana, o metal acumulou ganho de 4,32%.

Segundo o analista da Oanda Craig Erlam, o metal amarelo vem sendo impulsionado por um Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) menos agressivo, e por dados mais fracos do mercado de trabalho e da inflação americana.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Desde que rompeu a barreira psicológica dos US$ 2.000 por onça-troy, o ouro tem conseguido acumular pequenos ganhos diários, e Erlam vê campo para que o ativo de segurança tenha um “final de ano brilhante”, a depender de dados futuros dos EUA, que parecem caminhar para favorecer o metal.

O analista do Commerzbank Carsten Fritsch, porém, discorda de Erlam, e vê cenário para uma possível correção dos preços do ativo na semana que vem, sobretudo após dados do payroll (relatório de emprego), que deve realinhar as expectativas dos investidores sobre cortes dos juros pelo Fed.

Fritsch afirma que é pouco provável que o Fed corte os juros em 50 pontos-base no primeiro semestre de 2024, como investidores esperam, porém, afirma que os cortes virão mais intensos na metade final do ano que vem, o que deve fazer o metal terminar 2024 acima dos US$ 2.100.