Fique de olho

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira

Bolsas mundiais têm dia misto; China volta de feriado, alta de commodities e mais destaques do mercado na sessão

SÃO PAULO – A sessão desta quinta-feira é de leves variações para os principais índices mundiais, com os investidores atentos aos balanços corporativos, enquanto a China voltou do feriado do Ano Novo Lunar com alta do índice de Xangai, enquanto os metais também registraram ganhos.

Por aqui, o debate sobre o auxílio emergencial segue no radar em meio ao noticiário sobre a prisão do deputado Daniel Silveira. No radar corporativo, atenção para a estreia das ações da CSN Mineração na B3, enquanto os investidores repercutem os dados do Carrefour do quarto trimestre e aguardam pelos números do IRB. Confira no que ficar de olho:

1.Bolsas mundiais

As bolsas europeias têm uma sessão mista nesta quinta-feira. O setor de recursos básicos, contudo, tem ganhos mais elevados em meio à alta dos metais, de 2,4%, enquanto ações do setor de seguros têm quedas de 0,6%.

Antes da abertura dos mercados, o banco suíço Credit Suisse reportou prejuízo líquido de 353 milhões francos suíços (US$ 392,8 milhões) no quarto trimestre de 2020, devido a provisões maiores. As ações do banco tiveram quedas de 0,6%.

O banco britânico Barclays reportou lucro líquido para o ano de 2020 de 1,53 bilhão de libras esterlinas, ou US$ 2,11 bilhões, uma queda de 38% em relação a 2019, mas ainda assim superior à expectativa de analistas. As ações do banco tiveram quedas de 1% pela manhã.

A fabricante francesa de aviões Airbus reportou prejuízo de 510 milhões de euros (US$ 614,5 milhões) em 2020, com queda de 755 no lucro operacional em decorrência da pandemia, que prejudicou investimentos no setor de aviação. Mas sinalizou positivamente em relação a suas metas após gerar caixa no final do quarto trimestre. As ações da fabricante de aviões tiveram quedas de 3,1%.

Investidores também reagem à divulgação de resultados de Air France KLM, Bouygues, Carrefour, EDF, Moncler e Nestlé, além de dados sobre a inflação na Zona do Euro em janeiro.

Na quarta, o índice Dow teve leves altas, rumo a um novo recorde, mas os índices S&P 500 e o Nasdaq fecharam em território negativo. Nesta quinta, investidores acompanham dados sobre desemprego nos Estados Unidos. Analistas consultados pela Dow Jones dizem esperar 773.000 novos pedidos, uma leve queda em relação à semana anterior.

Dados dos setores de habitação e manufatura também devem ser divulgados. Investidores continuam acompanhando o noticiário em torno do programa de auxílio de US$ 1,9 trilhão defendido pelo presidente democrata Joe Biden.

PUBLICIDADE

Além disso, esta quinta-feira deverá marcar audiências do Congresso americano sobre o fenômeno GameStop, em que investidores individuais se organizaram por meio da comunidade WallStreetBets na rede de fóruns on-line Reddit e compraram coordenadamente ações que vinham sendo usadas em operações de “short selling” -quando investidores alugam uma ação, vendem, esperam que seu preço caia, recompram e a devolvem, apostando, dessa forma, na queda dos preços dos papéis.

O movimento levou à rápida valorização de ativos, em especial o da varejista de jogos de videogame GameStop, obrigando grandes fundos de hedge a recomprarem antecipadamente as ações, levando a perdas bilionárias e insegurança no mercado financeiro.

Nesta quinta, o Comitê sobre Serviços Financeiros da Câmara dos Estados Unidos deverá ouvir os líderes de Melvin Capital e Robinhood, além do operador Keith Gill, ativo no Reddit.

Esta quinta também marcou a volta à atividade nas bolsas da China continental após o feriado do Ano Novo Lunar, que tiveram, no entanto, quedas, junto a outros índices asiáticos importantes. Contudo, os metais operam em alta: os futuros do minério de ferro na China saltaram 7% nesta quinta-feira, em meio a expectativas de uma retomada na demanda chinesa após o país voltar do feriado de Ano Novo Lunar e com sinais de aceleração na recuperação da economia global somando-se ao otimismo.

O petróleo brent, por sua vez, ultrapassou os US$ 65, mas devolveu parte do movimento na véspera.

Veja os principais índices às 8h20 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,43%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,75%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,28%
Europa
*Dax (Alemanha), -0,14%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,73%
*CAC 40 (França), -0,42%
*FTSE MIB (Itália), -0,72%
Ásia
*Nikkei (Japão), -0,19% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -1,58% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -1,5% (fechado)
*Shanghai SE (China), +0,55% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,13%, a US$ 61,06 o barril
*Petróleo Brent, estável, a US$ 64,34 o barril
*Bitcoin, +0,64%, a US$ 51.656,19
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com alta de 7,05%, cotados a 1131,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 174,97 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,47

 

2. Agenda de indicadores

PUBLICIDADE

Às 5h a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) divulgou IPC (Índice de Preços ao Consumidor) para o município de São Paulo, relativo à terceira quadrissemana de janeiro, que indicou alta de 0,55%. Às 8h, a FGV divulga o índice de inflação IPC-S, relativo a 15 de fevereiro.

Às 10h, Lael Brainard, membro do conselho do Fed, fala no Climate Finance Summit, do Instituto Internacional de Finanças. Às 10h30, são divulgados dados sobre alvarás, licenças para construção e a construção de novas casas em janeiro, nos Estados Unidos. No mesmo horário são divulgados dados sobre novos pedidos de seguro desemprego e índices de importação e exportação, relativos a janeiro nos Estados Unidos. Também às 10h30, o Fed da Filadélfia divulga dados sobre o panorama dos negócios em fevereiro. Às 12h, Raphael Bostic, presidente do Fed de Atlanta, discute desigualdade educacional.

Às 12h, são divulgados dados sobre confiança do consumidor, em fevereiro na Zona do Euro. Antes disso, às 9h30, o Banco Central Europeu (BCE) divulga a ata da última reunião de política monetária.

3. Vacinação no Brasil

O consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil divulgou, às 20h de terça (16), o avanço da pandemia em 24 h no país. A média móvel de mortes em 7 dias foi de 1.033, estável em relação ao patamar registrado 14 dias antes. Em apenas um dia houve 1.195 mortes.

A média móvel de casos confirmados em 7 dias foi de 45.282, queda de 6% frente ao período encerrado 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 57.937 casos.

Até o momento, 5.402.913 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid no Brasil, o equivalente a 2,55% da população. A segunda dose foi aplicada em 667.410 pessoas, ou 0,32% da população.

A falta de doses de vacinas contra a Covid continua a ampliar o número de capitais que estão suspendendo ou pretendem suspender a vacinação. Até o momento, Campo Grande, Cuiabá, Porto Alegre, Rio e Salvador têm interrupções. Analistas indicam que o ritmo de vacinação deve ser um dos fatores a determinarem a velocidade de recuperação da economia brasileira em 2021.

Sob pressão, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, participou de reunião virtual com governadores na quarta, em que prometeu entregar aos estados, ainda em fevereiro, 9,3 milhões de doses da vacina CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan, parceiro brasileiro do laboratório chinês Sinovac.

PUBLICIDADE

Ele também prometeu 2 milhões de doses da vacina desenvolvida em parceria entre Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, importadas da Índia. É o mesmo imunizante que deverá ser produzido no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) a partir de insumos importados.

Apesar da promessa do ministro, ainda não há confirmação sobre a entrega dos imunizantes por parte de autoridades indianas, que no início do ano dificultaram a distribuição visando priorizar a vacinação do país. De acordo com a Fiocruz, que também é responsável pela importação, a compra ainda está sendo negociada.

O general Pazuello afirmou ainda que 230,7 milhões de doses de imunizantes serão entregues até 31 de julho. No domingo, a Confederação Nacional dos Municípios pediu a saída urgente do ministro, citando relatos de ministros de várias partes do país indicando a suspensão da vacinação de grupos prioritários.

4. Auxílio emergencial

Mesmo antes da aprovação do Orçamento no Congresso, a área econômica do governo já trabalha com a possibilidade de contingenciar ao menos R$ 10 bilhões, segundo informações de bastidores publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo. A necessidade de bloqueio pode ser ainda maior, de R$ 20 bilhões, dependendo do espaço orçamentário que parlamentares encontrarem para cortar despesas durante a votação do projeto, prevista para entre o fim de março e o início de abril.

A previsão de corte é indicativo da dificuldade do governo de encontrar saídas para pagar uma nova rodada de auxílio emergencial sem estourar o Orçamento. A medida ganha força no Congresso e, apesar de não ser unanimidade entre a equipe econômica, é tratada como certa.

A previsão de contingenciamento se dá no grupo de despesas discricionárias (não obrigatórias), que incluem investimentos e o custeio da máquina pública. A Lei de Diretrizes Orçamentárias apontou valor de R$ 83,9 bilhões para esses gastos, sem contar emendas parlamentares. Se contabilizadas as emendas, os gastos chegam a R$ 100 bilhões.

Nesta quinta, o deputado federal Daniel Silveira (PSL), aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) passa por audiência de custódia, após ter sua prisão em flagrante decretada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) por divulgar um vídeo em que fez apologia ao AI-5 (Ato Institucional 5), instrumento de repressão que levou ao fechamento do Congresso na ditadura militar, e em que defendeu a destituição de ministros da Corte.

Ambas as reivindicações são inconstitucionais, mas a prisão de um deputado por determinação do Supremo gera temor do agravamento da tensão entre os Poderes. Setores do Congresso acusam o STF de interferir sobre a atuação do Legislativo.

O plenário da Câmara dos Deputados pode decidir hoje se mantém ou revoga a prisão do deputado. Na quarta, o STF manteve por unanimidade a decisão de Moraes. Também na quarta, PT, PSB, PDT, PCdoB, PSOL e Rede pediram a cassação do mandato do deputado Daniel Silveira (PSL) por suposta quebra de decoro parlamentar.

Segundo informações de bastidores publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo, a polêmica em torno do deputado bolsonarista pode dificultar a indicação da deputada Bia Kicis (PSL-DF) para presidir a Comissão de Constituição e Justiça.

5. Radar corporativo

Em destaque no radar corporativo, o Carrefour Brasil apresentou lucro líquido ajustado ao controlador de R$ 886 milhões no quarto trimestre 2020, uma alta de 31,1% em relação ao registrado no mesmo período de 2019. O Ebitda ficou em R$ 1,732 bilhão, alta de 18,2% ante o quarto trimestre de 2019. Depois do fechamento do mercado, serão revelados os números do IRB Brasil.

Ainda no radar, a produção de petróleo da Petrobras voltou a crescer em janeiro, depois de ter abandonado o patamar dos 2 milhões de barris diários em dezembro do ano passado. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a estatal produziu em média 2,140 milhões de barris diários, 7,8% a mais do que no mês anterior.

A sessão ainda marca a estreia das ações da CSN Mineração após a abertura de capital (IPO) na última sexta-feira.

(Com Reuters, Bloomberg e Agência Estado)

Já pensou em ser um broker? Esta série gratuita do InfoMoney mostra como entrar para uma das profissões mais bem remuneradas do mercado. Deixe seu e-mail abaixo para assistir.