Radar da bolsa

OGX diz estar em contato com investidores; fundo briga por vagas no Conselho da HRT

Ainda entre os destaques, Gol estuda abrir aérea na República Dominicana; minoritários da Eletrobras lutam por assento no Conselho de Administração

SÃO PAULO – Em dia de agenda de indicadores pouco movimentada, o mercado aguarda pela divulgação de mais resultados do primeiro trimestre. Nesta quarta-feira (24), Vale (VALE3; VALE5) e Natura ganharão o holofote dos investidores depois do pregão, quando reportarão seus balanços.

Até lá, o mercado reflete o comunicado da OGX Petróleo (OGXP3), no qual esclarece que a companhia mantém permanente contato com vários investidores e existem possibilidade de negócios da companhia com diferentes empresas, todas, porém, ainda em estágio prematuro e sem características necessárias a ensejar sua divulgação ao mercado. 

A declaração veio após rumores de que a Lukoil estaria em negociação para comprar 40% da empresa de Eike Batista até maio, para aproveitar o 11° leilão da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustível). A gigante russa, entretanto, negou, na véspera, interesse na OGX

PUBLICIDADE

Fundo briga por mais vagas no Conselho da HRT
O fundo de investimentos norte-americano Discovery está preparando uma estratégia de guerra para a assembleia da petroleira HRT (HRTP3), dia 29, no Rio de Janeiro, informou a coluna Radar, da Veja. 

Segundo a publicação, o fundo pretende obter mais três vagas no Conselho de Administração, o que lhe daria maioria absoluta para uma mudança na gestão da companhia, presidida por Marcio Melo.

Nesta assembleia, Melo deixará de ser presidente do Conselho, ficando apenas com a presidência executiva da empresa. Em um primeiro momento, o fundo Discovery e a Quantum Partners, que teriam o apoio da Southeastern Asset Managment e da MSD Capital, querem restringir o poder de Melo. Numa segunda etapa, trocariam o comando da petroleira.

Minoritários da Eletrobras lutam por assento no Conselho 
Dois acionistas minoritários da Eletrobras (ELET3; ELET6) iniciaram um movimento para eleger um representante dos preferencialistas no Conselho de Administração da empresa. Na véspera, Eduardo Duvivier Neto e Rafael Alves Rocha divulgaram pedido público de procuração aos detentores de ações preferenciais para representá-los na assembleia geral ordinária da empresa, no próximo dia 30. João Antonio Lian, fundador e controlador da exportadora de café Sumatra, é indicado ao cargo. 

O estatuto social da Eletrobras reserva um assento no Conselho para detentores de ações preferenciais, que representem 10% do capital social da companhia. Da mesma forma, eles têm direito a um assento no Conselho Fiscal da elétrica.

Lucro da Weg cresce 16,2% no 1° tri
A fabricante de motores elétricos Weg (WEGE3) reportou lucro líquido reportou lucro líquido de R$ 172,3 milhões no primeiro trimestre deste ano, uma alta de 16,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

PUBLICIDADE

O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 248,9 milhões, com crescimento de 25,5%. A margem Ebitda (Ebitda/Receita Líquida) avançou 2,3 pontos percentuais em um ano, para 16,8%. A receita líquida, por sua vez, cresceu 7,9%, para R$ 1,477 bilhão. 

Gol estuda abrir aérea na República Dominicana
A Gol (GOLL4) planeja abrir uma companhia aérea na República Dominicana, a Gol Dominicana, no segundo semestre, apurou o Valor. O plano é montar uma frota de sete aeronaves da Boeing, modelo 737-800, com voos para a América Central e para os Estados Unidos. Procurada, a Gol não confirmou a informação.

Segundo a publicação, o passo definitivo para a empresa implementar esse plano foi dado na semana passada, no dia 17 de abril. À época, a Câmara de Deputados da República Dominicana aprovou a alteração na legislação aeronaútica daquele país, com o objetivo de reconhecer a Gol como empresa aérea nacional, apesar de ter seu capital controlado por estrangeiros.  

Celpe tem tarifa reajustada em 1,32%
A diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou na última terça-feira reajuste médio de 1,32% para a distribuidora pernambucana Celpe (CEPE3), dentro do processo de revisão tarifária da empresa, controlada pelo grupo Neoenergia.

O aumento entra em vigor a partir do dia 29. Para clientes que recebem energia em baixa tensão, como residências e pequenos estabelecimentos comerciais, o aumento médio ficou em 1,97%, enquanto indústrias e demais consumidores em alta tensão pagarão 0,19% a mais.