IPO

Ofertas de ações: 2007 foi ano de recordes, com IPO histórico de Bovespa e BM&F

Número de empresas ofertantes, valor captado e valorização na estréia são apenas algumas das marcas superadas no ano

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A percepção de que 2007 foi o ano dos recordes no que tange às ofertas públicas de ações já está bastante disseminada entre os investidores e analistas. E de fato foi em todos os critérios de avaliação, passando pelo número de empresas ofertantes ao volume total captado.

Ao todo, o ano marcou o ingresso de 64 companhias na bolsa paulista, enquanto doze follow-ons (transações de empresas listadas anteriormente na Bolsa) foram realizados, o que significa um total de 76 ofertas públicas de ações, ultrapassando com folga o número alcançado em 2006, de 42 ofertas.

O volume dessas também foi recorde em 2007. As 76 ofertas, juntas, captaram um total de R$ 70,113 bilhões no mercado brasileiro, enquanto que, em 2006, as empresas arrecadaram cerca de R$ 30,44 bilhões com suas ofertas.

Aprenda a investir na bolsa

Ademais, cabe lembrar que, à parte dos recordes batidos em si, a superação de tais números deu-se mesmo em momentos de extrema volatilidade nos mercados acionários do mundo, em especial, no segundo semestre do ano, marcado pelo auge da crise imobiliária norte-americana.

Bovespa Holding: capítulo à parte
Dentre os diversos recordes registrados em 2007, muitos deles cabem a uma companhia: Bovespa Holding. O IPO (Initial Public Offering) da empresa, controladora da bolsa paulista, marcou o maior volume já captado por uma companhia desde a reabertura dos mercados em 2004, com R$ 6,625 bilhões.

Outra marca quebrada foi a de valorização no pregão de estréia. Em 26 de outubro, as ações da empresa subiram 52,13%, encerrando cotadas a R$ 34,99, a maior variação positiva já registrada no mercado brasileiro. Até então, a marca pertencia à Gafisa, cujas ações avançaram 29,46%.

O volume girado nos 54.059 negócios também foi recorde. Ao final do dia, o montante negociado chegou a R$ 5,06 bilhões, superando com folga o número mensurado pelo IPO da Redecard, cujos papéis movimentaram R$ 1,67 bilhão em sua estréia.

BM&F e Redecard também foram destaques
Apesar da oferta da Bovespa ocupar quase todos os recordes do mercado acionário brasileiro, um pertence à BM&F: o de participação de pessoas físicas. A operação da companhia marcou o ingresso de muitos estreantes na bolsa, estimulados pelo sucesso do IPO da Bovespa.

No total, 253.707 pessoas adquiriram ações da BM&F no procedimento de sua oferta, enquanto o mensurado pela Bovespa fora de 63.929 investidores “Pessoas Físicas”. Contudo, o valor adquirido pela categoria nas duas ofertas foi próximo. A Bovespa Holding captou R$ 556,52 milhões ao passo que o captado pela BM&F foi de R$ 571,23 milhões.

PUBLICIDADE

Entretanto, o IPO da empresa controladora da Bolsa de Mercadorias e Futuros decepcionou a muitos, sobretudo por conta de seu rateio, por meio do qual investidores de varejo puderam levar apenas até R$ 1.820,00 em papéis.

Além da entrada no mercado das duas bolsas, as primeiras a realizarem tal operação na América Latina, destacaram-se ainda em 2007 os IPOs da Redecard, da JBS Friboi e da Amil Participações, em termos de volume captado.

Projeções para 2008
Para 2008, as projeções são de continuidade do expressivo fluxo de entrada de companhias na bolsa paulista. Contudo, alguns analistas acreditam que o volume movimentado por tais operações possa ser um pouco menor do que o deflagrado neste ano.

Isto porque as megaoperações de Bovespa Holding, BM&F e Redecard teriam distorcido os números de 2007. Cabe ressaltar que, até o momento, existem 36 operações em análise na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), sendo 26 delas IPOs.