Em mercados

Minério de ferro tem ganhos pós Brumadinho apagados e volta a níveis de janeiro

Na China, os futuros em Dalian caíram para o menor nível de fechamento desde o final de janeiro, mesmo mês em que o desastre no Brasil desencadeou uma disputa por suprimentos

transporte de minério Rio Tinto 3
(Daniel Munoz/Reuters)

(Bloomberg) -- A derrocada do minério de ferro é tão severa que, após semanas de venda implacável, a matéria-prima corre o risco de perder todos os ganhos que se seguiram ao trauma de abastecimento provocado pelo colapso da barragem da Vale.

Na China, os futuros em Dalian caíram para o menor nível de fechamento desde o final de janeiro, mesmo mês em que o desastre no Brasil desencadeou uma disputa por suprimentos.

“Houve um aumento nos embarques de minério de ferro e uma clara redução do aperto de oferta recentemente”, disse o analista da Huatai Futures, Sarah Zhao, que também destacou os preços mais fracos do aço após um aumento de dois meses nos estoques. “Tanto a demanda quanto a oferta estão alimentando a desaceleração.”

O minério de ferro afundou este mês, quando os fatores do rali do primeiro semestre, especialmente os cortes da oferta da Vale após rompimento de barragem, entraram em marcha à ré.

Os embarques estão se recuperando e estoques estão se expandindo, com mais produção chegando ao mercado em um momento de desaceleração do crescimento e preocupações com a guerra comercial. Isso está prejudicando as mineradoras, incluindo a Rio Tinto, Fortescue Metals e BHP, que advertiram na terça-feira que o minério de ferro terá preço menor no atual ano financeiro.

“A atividade de construção diminuiu antes do Dia Nacional da China, o que leva as usinas a reduzirem a produção”, disse Zhao, referindo-se ao período em torno de 1º de outubro, o 70º aniversário da República Popular da China. Na ocasião, as autoridades provavelmente pressionarão por céus não poluídos, restringindo a atividade industrial.

Em Cingapura, o minério para outubro afundou para US$ 77,86. Na Dalian Commodity Exchange, o contrato de janeiro terminou no menor nível desde 31 de janeiro.

Ventos contrários à demanda chinesa estão se ampliando, com o crescimento da produção industrial no ritmo mais fraco desde 2002, enquanto a expansão do investimento em infra-estrutura enfraqueceu, ao mesmo tempo em que os estoques de minério de ferro aumentam e as margens de lucro das usinas enfrentam pressão.

Na terça-feira, a BHP alertou que o esfriamento do crescimento na China e as ameaças globais ao livre comércio apresentam riscos importantes para os preços das matérias-primas no próximo ano.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

Contato