Em mercados

IPCA sobe 0,19% em julho, abaixo do esperado por economistas

Economistas consultados pela Bloomberg esperavam, na mediana, uma aceleração para 0,24% na base mensal 

Sacolas de compras
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou julho com alta de 0,19% ante um avanço de 0,01% em junho, informou na manhã desta quinta-feira (8), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio abaixo do esperado por economistas consultados pela Bloomberg que, na mediana, esperavam uma aceleração para 0,24% na base mensal e alta de 3,28% em julho na comparação anual. Em 12 meses, o IPCA acumulou alta de 3,22%. 

O IBGE destaca que o índice de julho ficou concentrado no grupo habitação, cuja variação de 1,20% correspondeu a um impacto de 0,19 ponto percentual.

Em habitação, o destaque ficou com o item energia elétrica, com as contas de luz ficando em média 4,48% mais caras para o consumidor. A variação do item, cujo impacto é de 0,17 ponto percentual, oscilou entre a queda de 0,40%, em Rio Branco, e a alta de 7,59% na região metropolitana de São Paulo.

Já o grupo Alimentação e bebidas, com variação de 0,01% apresentou estabilidade no nível de preços de junho para julho.

Os grupos vestuário (-0,52%), saúde e cuidados pessoais (-0,20%) e transportes (-0,17%) apresentaram deflação no índice do mês.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

 

Contato