Em mercados

BC vê interrupção na recuperação econômica e irá excluir frase sobre cautela do Copom

A autoridade monetária aponta que "o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas o cenário básico contempla sua retomada adiante"

Banco Central
(REUTERS/Ueslei Marcelino)

SÃO PAULO - O Banco Central afirma que indicadores sugerem uma "probabilidade relevante" de que a economia brasileira tenha recuado no primeiro trimestre, segundo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta terça-feira (14).

A autoridade monetária aponta que "o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas o cenário básico contempla sua retomada adiante".

A ata diz ainda que indicadores do primeiro trimestre induziram a "revisões substantivas'' nas projeções para PIB de 2019 na pesquisa Focus e que "essas revisões refletem um primeiro trimestre aquém do esperado, com implicações para o 'carregamento estatístico', mas também embutem alguma redução do ritmo de crescimento previsto para os próximos trimestres".

Neste cenário, o documento afirma que os membros do comitê debateram a conveniência de não mais repetir a mensagem sobre "conduzir a política
monetária com cautela, serenidade e perseverança" em sua comunicação, "posto que se trata de questão principiológica que já deveria estar bem assimilada".

Os membros do Copom, portanto, concordaram em excluir essa mensagem a partir da próxima reunião, "com o entendimento que isso não deveria ser interpretado como mudança de sua forma de condução da política monetária".

Mesmo assim, o BC reiterou que "a melhor forma de manter a trajetória da inflação em direção às metas, diante de incertezas quanto aos cenários econômicos, é conduzir a política monetária com cautela, serenidade e perseverança".

 

Tudo sobre:  Economia   Copom  

Contato