Em mercados

Corte pelo Fed este ano está sendo precificado como quase certo

A taxa dos contratos de Fed Funds para janeiro aponta que o benchmark do Fed cairá para 2,075% até o final de 2019

Federal Reserve
(Flickr/Federal Reserve)

(Bloomberg) -- Em meio a preocupações com a guerra comercial entre EUA e China e com a economia, os operadores de mercado estão mais convencidos de que um corte de 0,25 ponto percentual nos juros pelo Fed pode acontecer neste ano.

A taxa dos contratos de Fed Funds para janeiro aponta que o benchmark do Fed cairá para 2,075% até o final de 2019. Isso é mais do que 25 pontos-base abaixo de onde a taxa efetiva dos Fed Funds estava na sexta-feira, mostrando que o mercado precifica um corte de 0,25 ponto. A taxa implícita no contrato fechou a semana passada em 2,15%.

Isso está acontecendo enquanto a China ameaça com retaliação tarifária em algumas importações americanas, uma escalada na guerra comercial com o presidente dos EUA Donald Trump. O confronto está alimentando a preocupação com o crescimento econômico, levando uma parte fundamental da curva de rendimento dos Treasuries a se inverter novamente - um sinal para muitos de que o risco de uma recessão aumentou.

Na sua coletiva após a reunião do FOMC deste mês, em 1º de maio, o presidente do banco central americano, Jerome Powell, incluiu a incerteza em torno das negociações comerciais entre EUA e China como um dos riscos que se apresentavam para as perspectivas do Fed. Mas acrescentou que os riscos tinham se moderado um pouco.

Os rendimentos dos Treasuries de 3 meses estão novamente acima dos yields dos títulos de 10 anos, relação atípica que também ocorreu brevemente em março. O movimento de retorno à inversão de taxa aumentou bastante há uma semana, quando Trump disse que aumentaria as tarifas sobre produtos chineses.

Repórter da matéria original: Alexandra Harris em N York, aharris48@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Benjamin Purvis, bpurvis@bloomberg.net, ;Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net, Nick Baker

©2019 Bloomberg L.P.

 

Contato