Em mercados

Fuja do ouro, busque ações dolarizadas e mais: confira como fazer sua carteira anti-crise

Analistas avaliam qual é a melhor forma de não perder dinheiro em situações como uma Previdência menor que a esperada

São Paulo - Com um cenário político e econômico conturbado à frente, uma dúvida comum que atormenta os investidores é o que fazer para proteger seus patrimônios. Montar uma carteira mais conservadora e arriscar perder rendimento ou fazer hedge com ativos mais arriscados como opções? Seriam ouro e câmbio boas alternativas?

Os analistas da Nord Research, Bruce Barbosa, Marilia Fontes e Renato Breia colocaram suas opiniões sobre o tema. Breia, por exemplo, disse que é melhor investir em fundos do que fazer uma carteira baseada nas 20 ações mais recomendadas pelas corretoras e nas notícias que lê no jornal. "Eu prefiro colocar em fundos porque ali estão pessoas que acompanham o mercado no dia a dia e podem te ajudar a investir bem", afirmou. 

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

Os três analistas criticaram o ouro como proteção, apontando que é melhor investir em algo que pague dividendos ou juros periodicamente. "Se algo não gera valor a longo prazo, não é bom. Empresas que geram lucros constantemente têm potenciais de valorização bem maiores", alertou Barbosa. Para ele, é possível encontrar ações de companhias brasileiras dolarizadas que ainda estão baratas e são ótimas opções para proteger o patrimônio das crises.  

Marilia, por sua vez, lembrou que títulos como o Tesouro IPCA para 2035, por conta do prazo de vencimento muito longo, possuem a mesma volatilidade da Bolsa, fazendo mais sentido comprar algo como o Tesouro Selic, que acompanha a taxa básica de juros do País. 

Assista à integra do programa no vídeo acima para saber também o que cada um dos analistas acredita que vai acontecer no Brasil no futuro. 

 

Contato