Em mercados

Gestora teme que comportamento de Bolsonaro se torne “errático” como de Trump

Em carta enviada aos cotistas, a Infinity Asset expressa preocupação sobre o comportamento polêmico do presidente

Jair Bolsonaro
(Marcelo Camargo/Agência Brasil )

SÃO PAULO - Tudo indicava que o início deste mês seria tranquilo para o noticiário político, em meio ao feriado prolongado de Carnaval. Porém, não foi isso o que aconteceu, uma vez que o presidente Jair Bolsonaro fez uma série de declarações que movimentou tanto o mercado de ações quanto as redes sociais. 

Antes do início do feriado, Bolsonaro falou que poderia rever a proposta da Reforma da Previdência enviada ao Congresso no dia 20 de fevereiro, o que fez com que o Ibovespa fechasse em queda de 1,77% naquela sessão.

Já nas últimas horas da folia, o presidente compartilhou um vídeo polêmico que gerou muita repercussão (e divisão) nas redes sociais, fazendo com que muitos analistas passassem a temer a capacidade de Bolsonaro de manter seu apoio popular. 

Conforme ressaltou a Infinity Asset em carta aos investidores, as declarações polêmicas do presidente sobre a idade mínima da previdência e a ‘gordura para se queimar’ do texto original foram vistas como um sinal negativo pelos investidores, assim como os tweets polêmicos. Isso elevou os temores de que o comportamento do presidente possa se tornar errático, assim como o de Donald Trump nos EUA.

Vale lembrar que Trump ficou conhecido por usar sua conta do Twitter como fonte oficial e direta de informações do governo - movimento seguido por Bolsonaro para nomeação de membros do governo, posicionamentos e declarações sobre temas variados.

No documento, a Infinity destacou o "impacto Trump" nos mercados e a força que o presidente dos Estados Unidos tem como "fonte inesgotável de volatilidade dos ativos".

A gestora cita os encontros com Kim Jong Un que não prosperaram, o fim do shutdown e o início do processo de emergência nos EUA, além das reclamações sobre o preço do petróleo da OPEP e sinais conflitantes com a China - eventos que aumentaram a sensibilidade dos ativos no mundo todo. 

Vale ressaltar que o mês de fevereiro foi de grande volatilidade na bolsa, com o Ibovespa coletando perdas de 1,90% e o dólar registrando alta de 2,40% enquanto que, em março, o índice tem alta de quase 4%. Assim, apesar do ânimo recente nos mercados, é importante seguir monitorando de perto as falas do presidente brasileiro (assim como as de Trump). Elas devem seguir afetando e muito o mercado.

Invista seu dinheiro com a melhor assessoria do mercado: abra uma conta na XP - é de graça!

 

 

Contato