Em mercados

S&P fala em economia estabilizada, tira Brasil de observação negativa e mantém rating

A agência manteve o País em perspectiva negativa, mantendo assim o rating em "BB", ainda duas notas abaixo do grau de investimento

Bandeira do Brasil
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Logo após o governo anunciar a mudança da meta fiscal para 2017 e 2018, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s anunciou que retirou a nota de risco soberano do Brasil do status de Credit Watch negativo (observação negativa).

Apesar disso, a agência manteve o País em perspectiva negativa, mantendo assim o rating em "BB", ainda duas notas abaixo do grau de investimento. Isto tira o risco de um rebaixamento no curto prazo, mas mantém o Brasil ainda em "perigo" no médio e longo prazo.

De acordo com a S&P, o cenário político parece mais estabilizado após Temer sobreviver ao processo do TSE em junho e da denúncia contra ele no Congresso em agosto. A agência ainda fala que a economia também parece ter se estabilizado, apesar dos ruídos políticos.

A Perspectiva negativa, segundo a S&P, reflete os desafios políticos em curso e o risco de um downgrade nos próximos seis a nove meses - dadoo alto e crescente fardo da dívida do Brasil - se o Congresso não avançar legislação que comece a reduzir a rigidez fiscal do Brasil.

"O Congresso aprovou uma reforma trabalhista em julho, e o governo permanece comprometido a promover uma reforma da previdência que contenha o crescimento da despesa", destacou a S&P.

 

Contato