Em mercados

Florian Bartunek e a melhor dica para não entrar em pânico nos próximos "Friboigates"

Fundador da Constellation, gestora com mais de R$ 4 bilhões de ativos sob gestão e que possui Jorge Paulo Lemann como um dos sócios, revela o que fez com a carteira do fundo no fatídico dia 18 de maio e como impedir que o emocional atrapalhe a melhor decisão de investimento em momentos de crise

SÃO PAULO - O InfoMoneyTV entrevistou Florian Bartunek, fundador da Constellation Asset, gestora com mais de R$ 4 bilhões de ativos sob gestão e que possui Jorge Paulo Lemann como um dos sócios. Um apaixonado sobre o assunto "finanças comportamentais", Florian passou lições valiosíssimas para todo investidor de ações que vivenciou o fatídico "Friboigate", quando no dia 18 de maio deste ano o Ibovespa chegou a cair 10% por conta do vazamento das conversas de Joesley Batsita (CEO da JBS) com o presidente Michel Temer.

Florian, que também é um dos co-autores do livro "Fora da Curva", revelou o que ele e sua equipe da Constellation fizeram com a carteira de ações do fundo durante o dia 18. entrevista completa você confere no vídeo acima, logo no começo da matéria. Veja abaixo os principais trechos da entrevista:

Pergunta inicial: Por que nossos instintos humanos nos mostram que somos fadados a fracassar?
Trecho da resposta: quem ganhou muito dinheiro em ações comprou com foco no longo prazo. Estudos nossos mostram que não estar investido é um grande perigo para o investidor de longo prazo. Reagir no pânico não costuma compensar, o melhor a fazer é ser menos emocional e manter-se racional.

Instante 6:08 - O que você fez com sua carteira de investimentos em 18 de maio, pregão pós-vazamento das conversas de Joesley Batista com Michel Temer e que o Ibovespa caiu mais de 8%?
Trechos da resposta: 
- p
ara se proteger em momentos como esse, é importante montar um plano quando você estiver calmo. E escreva esse plano, é fundamental que você tenha esse plano escrito.
- O que nós fizemos na nossa carteira dia 18? Nada. Tínhamos puts que protegeram bastante nosso portfólio, e como o mercado abriu com “circuit breaker”, não tínhamos muito o que fazer. Então ao invés de ficar vendo o noticiário, fomos estudar nossas empresas e entender como essas mudanças poderiam impactar no lucro delas.

Instante 17:05 - Explicação da importância de se ter um portfólio balanceado e saber quando rebalancear o portfólio

Instante 21:00 - Você disse que fez um rebalanceamento na carteira do seu fundo após o dia 18. Quais ações ou setores ficaram mais interessados para você naquele momento?
Trechos da resposta: Não fazemos investimentos macroeconômicos, gostamos de olhar mais para empresas que trabalham em uma “raia própria”. Por exemplo: casos como Somos Educação (SEDU3), Fleury (FLRY3), Raia Drogasil (RADL3) ou Ultrapar (UGPA3) não importa se o dólar vai pra R$ 3,60, isso não vai afetar na empresa. Já para um caso como Petrobras, é preciso ter opinião sobre o dólar, sobre o petróleo, sobre o Pedro Parente, e isso não sabemos opinar.

Veja também:
Clique aqui e assista a todas as entrevistas do projeto InfoMoney Fora da Curva

 

Tudo sobre:  Ações  

Contato