Em mercados

Quem pode ser o 1º BRIC a perder o grau de investimento? Para o FT, é o Brasil

Economistas do Barclays consultados pelo jornal destacam cenário de deterioração fiscal no País combinado à economia fraca

Dilma pensativa - 14/03/13
(Ueslei Marcelino/Reuters)

SÃO PAULO - O Brasil pode ser o primeiro dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) a perder o grau de investimento, de acordo com avaliação publicada pelo jornal britânico Financial Times na manhã desta quarta-feira (6).

De acordo com economistas do banco Barclays consultados pelo jornal, o País pode ser o primeiro entre os quatro emergentes a perder o título se a situação fiscal continuar em deterioração e a economia não se acelerar. Caso essa tendência se mantenha, o rebaixamento pode vir no começo do próximo ano, conforme destacaram citando o blog Beyond Brics

Os economistas do banco britânico, Bruno Rovai e Marcelo Salomon, destacam que os resultados fiscais de setembro vieram muito mais fraco do que o esperado, atingindo um déficit de R$ 10,4 bilhões, muito maior do que o consenso de mercado aponta, de déficit de R$ 500 milhões. E o resultado surpreendente foi impulsionado principalmente por um forte aumento das despesas extraordinárias no mês. Porém, as receitas menores que o esperado também ajudaram a aumentar o déficit.

Além disso, eles afirmaram continuarem céticos de que a tendência poderá ser revertida, especialmente por conta das eleições a serem realizadas em outubro do próximo ano. 

"A questão crítica, a nosso ver, é que a deterioração do superávit primário sustentado e contínuo aumentará os índices de endividamento", avaliam. O superávit primário caiu para 1,6% em setembro, de 1,8% em relação ao mês anterior e de 2,3% frente ao mesmo mês do ano passado. "Enquanto isso, a relação dívida líquida e o PIB subiu para 35% ante 33,9% no mês anterior e, em nossa opinião, é exatamente essa tendência que deve pavimentar o caminho para o rebaixamento da classificação no início de 2014", avaliam os analistas.

E o jornal destaca que o rebaixamento por quaisquer agências de rating colocaria o Brasil à beira do status de "junk", destacando que tanto a Standard & Poor's quanto a Moody's pioraram a sua perspectiva de rating para o Brasil nos últimos meses.

"A boa notícia para o Brasil é que o País não é o único Bric que está andando sobre o gelo fino. A Índia também é vista como uma grande candidata para ser rebaixada", diz o FT destacando, que o "I" dos BRICs está a apenas a um passo de perder o grau de investimento. 

 

Contato