Em mercados

IPC-S desacelera alta para 0,57% na 3ª quadrissemana de outubro

Quatro dos oito grupos que compõem o indicador desaceleraram a alta de preços com destaque para alimentação

dragão da inflação 2 - finanças
(Getty Images)

SÃO PAULO - O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) desacelerou para uma alta de 0,57 cento na terceira quadrissemana de outubro, depois de avançar 0,62 por cento no período anterior, informou a FGV(Fundação Getulio Vargas) nesta terça-feira (23).

Quatro dos oito grupos que compõem o indicador desaceleraram a alta de preços: Alimentação (1,22 para 1,04 por cento), Habitação (0,51 para 0,40 por cento), Saúde e Cuidados Pessoais (0,59 para 0,48 por cento) e Comunicação (0,69 para 0,65 por cento).

Nestas classes de despesa destacaram-se respectivamente os comportamentos de hortaliças e legumes (-4,17 para -5,89 por cento), taxa de água e esgoto residencial (0,93 para 0,67 por cento), artigos de higiene e cuidado pessoal (1,33 para 0,84 por cento) e mensalidade para TV por assinatura (0,70 para 0,21 por cento).

Por sua vez, registraram acréscimo nas taxas de variação os grupos Educação, Leitura e Recreação (0,10 para 0,27 por cento), Vestuário (0,78 para 0,94 por cento), Transportes (0,16 para 0,24 por cento) e Despesas Diversas (0,30 para 0,43 por cento).

Os preços dos alimentos têm sido os principais vilões da inflação recentemente. Influenciado principalmente por esse grupo, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) --considerado uma prévia da inflação oficial-- acelerou a alta em outubro para 0,65 por cento.

Porém, analistas já acreditam que esse movimento pode perder força nos próximos meses, apostando que o pico dos preços dos alimentos já foi atingido.

 

Contato