Em mercados

Em dia de vencimento de opções, Ibovespa tem pregão instável

No exterior, BCE nega reportagem sobre limite para juro em dívida e banco central alemão se mostra contrário a novas intervenções

bolsa - cotações - mercados
(Getty Images)

SÃO PAULO - Em um dia instável para os mercados, a trajetória desta segunda-feira (20) para o Ibovespa não é diferente e o pregão é marcado pela volatilidade. Depois de iniciar as negociações em alta, o índice se manteve em queda por grande parte da manhã - atingindo perdas de até 0,77% - e agora oscila próximo da estabilidade. Às 13h03 (horário de Brasília), o índice registrava ligeira alta de 0,04%, aos 59.105 pontos.

Vale lembrar que esta segunda-feira conta com o vencimento de opções sobre ações, o que costuma trazer mais volatilidade às negociações. Até o momento, o volume negociado na bolsa já alcança os R$ 6,0 bilhões, enquanto a média diária no ano é de R$ 7,2 bilhões.

Em âmbito internacional, a trajetória é de leve queda para as bolsas. Os mercados esboçavam certo otimismo durante a manhã, quando a revista alemã Der Spiegel publicou que o BCE (Banco Central Europeu) poderia decidir na próxima reunião um teto para o juro da dívida de cada país. Entretanto, a autoridade monetária rebateu e um porta-voz disse à imprensa internacional que é absolutamente errado especular sobre decisões que ainda não foram tomadas.

Além disso, o banco central alemão divulgou uma nota em que reforçou a sua posição contrária às compras de títulos públicos, o que também foi mal recebido pelos investidores e fez as bolsas no exterior, que até então estavam em alta, inverterem o sinal.

Sinais de desaceleração
No cenário doméstico, as notícias também são negativas. Segundo Relatório Focus, anunciado pelo Banco Central nesta manhã, o mercado projeta um PIB (Produto Interno Bruto) de 1,75% para este ano, além de uma contração de 1,2% na produção industrial. Ao mesmo tempo, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) deverá atingir a marca de 5,15%, segundo as projeções do mercado, todas piores que a da semana anterior.

Altas e baixas
As ações da TIM Participações (TIMP3) e da Oi (OIBR3, OIBR4) lideram as perdas do Ibovespa nesta segunda-feira. A primeira sofre com a cobrança de € 550 milhões em dívidas tributárias atrasadas da TIM Celular, mas a empresa ainda recorrerá. Na outra ponta, os papéis da B2W Varejo (BTOW3) apresentam os maiores ganhos do índice, em valorização de 4,80%.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 TIMP3 TIM PART S/A ON 8,34 -3,92 -7,97 27,06M
 OIBR4 OI PN EDB 7,69 -3,75 +3,23 36,18M
 OIBR3 OI ON EDB 9,02 -3,63 -12,04 1,57M
 VAGR3 V-AGRO ON 0,38 -2,56 +18,75 1,42M
 MRVE3 MRV ON 11,72 -2,50 +13,90 17,36M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BTOW3 B2W VAREJO ON 7,42 +4,80 -17,56 5,17M
 GOLL4 GOL PN N2 10,02 +2,04 -19,45 6,07M
 BRKM5 BRASKEM PNA 15,18 +1,95 +23,88 14,89M
 ELET3 ELETROBRAS ON 15,57 +1,43 -4,95 3,57M
 OGXP3 OGX PETROLEO ON 6,31 +0,96 -53,67 64,75M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

 

Contato