Em mercados

Após decisão do Copom, Bradesco já considera Selic em 8,50% ao ano em 2012

Corte de 0,75 ponto percentual deu indicações de que a taxa poderá ser reduzida ainda mais na próxima reunião em maio

SÃO PAULO - Após o Copom (Comitê de Política Monetária) decidir por unanimidade, na noite de quarta-feira (18), em reduzir a taxa básica de juro para 9% ao ano, o diretor de pesquisas e estudos econômicos do Bradesco, Octavio de Barros, acredita ser mais provável que o Copom reduza novamente a taxa de juros em 50 pontos base, para 8,50% ao ano. 

Na avaliação do Bradesco, com o corte de 0,75 ponto percentual o Copom deu indicações de que a taxa poderá ser reduzida adicionalmente na próxima reunião em maio. Em um comunicado mais lacônico que o da reunião anterior, o Banco Central mostrou uma cautela adicional com o cenário internacional e reforçou a contribuição desinflacionária do setor externo, o que condiciona a próxima decisão aos dados futuros, analisa.

“Assim, confirmando nossa expectativa, o novo mínimo histórico da taxa Selic deixaria de ser 8,75% (atingido no último ciclo de afrouxamento) e passaria a ser 8,50%, permanecendo nesse patamar até pelo menos o final de 2012”, reforça em relatório o economista do Bradesco. No entanto, Octavio de Barros não descarta as chances de manutenção da taxa na próxima reunião.

Contudo, é preciso considerar a divulgação da ata do Copom, na próxima semana, com informações adicionais relativas à leitura do comitê em relação ao cenário atual e prospectivo, com as pistas para os passos seguintes da política monetária.

 

Contato