Em mercados

Ibovespa segue otimismo do mercado externo e registra alta

Investidores digerem leilão de dívida espanhol e confiança dos investidores alemães, além de dados da economia dos EUA

SÃO PAULO - O Ibovespa segue o bom desempenho das bolsas internacionais e registra alta de 1,02%, aos 62.583 pontos no pregão regular desta terça-feira (17), refletindo o otimismo do mercado com o leilão de dívida na Espanha e o resultado do indicador de confiança na Alemanha, enquanto aguardam a cheia agenda de resultados trimestrais corporativos dos EUA.

O Tesouro espanhol passou no teste de sentimento do mercado, vendendo mais do que o esperado em títulos de curto prazo em oferta realizado nesta data. Foram vendidos € 3,18 bilhões em bônus com maturidade em um ano e um ano e meio, superando o objetivo máximo pretendido de € 3 bilhões.

O rendimento médio dos papéis para 12 meses ficou em 2,623%, contra 1,418% do último leilão, feito em 20 de março. Já os títulos com vencimento em 18 meses saíram com yield médio de 3,11%, ante 1,71% do mês passado.

Em relação à economia doméstica, o FMI (Fundo Monetário Internacional), em seu relatório Panorama Econômico Global, elevou sua projeção de crescimento econômico do Brasil em 2012, de 2,9% para 3,0%. A expectativa para o ano que vem também subiu de 4% para 4,1%.

Destaques do pregão
Entre as maiores altas da carteira teórica do Ibovespa neste início de pregão, destaque para as ações de GOL (GOLL4, R$ 11,04,+7,71%), Eletrobras (ELET3, R$ 16,19, +3,45%), Vanguarda Agro (VAGR3, R$ 0,39, +2,63%), Brookfield (BISA3, R$ 5,64,+2,55%) e MRV (MRVE3, R$ 13,29, +2,31%).

Confiança alemã
No front econômico, o índice que mede o sentimento dos investidores alemães subiu inesperadamente pelo quinto mês seguido em abril, sugerindo que a maior economia europeia pode enfrentar a crise da dívida que ameça ressurgir na periferia da região do euro. De acordo com o instituto de pesquisa Zew, o indicador aumentou de 22,3 em março para 23,4 este mês. Trata-se do maior nível desde junho de 2010.

Agenda norte-americana
No front corporativo, o mercado digere os balanços referentes ao primeiro trimestre de 2012 de Goldman Sachs, Coca-Cola e Johnson & Johnson. IBM, Intel e Yahoo estão programadas para revelar seus resultados após o encerramento do pregão regular.

Já entre os indicadores econômicos, o Housing Starts, que mede o número de casas em início de construção nos EUA, registrou 654 mil imóveis no resultado anualizado de março, abaixo dos 700 mil esperados pelo consenso de mercado. No mês, foram computadas 747 mil permissões para construção civil, segundo o Building Permits, acima das expectativas do mercado, que apontavam 710 mil permissões. 

Também por lá, a produção industrial se estagnou em março, resultado abaixo das projeções do mercado, de alta de 0,2%. A capacidade industrial utilizada, por sua vez, atingiu 78,6%, resultado ligeiramente acima das expectativas de mercado, de 78,5%.

 

Contato