Em mercados

Ibovespa abre em queda de 0,54%, na contramão das bolsas internacionais

Investidores aguardam relatório de emprego dos EUA; impasse sobre reestruturação da dívida grega ainda inspira cautela

SÃO PAULO - O Ibovespa inicia o pregão regular desta sexta-feira (3) em queda de 0,54%, aos 62.247 pontos, em meio à expectativa dos investidores pela divulgação de dados do mercado de trabalho norte-americano e pelo desenrolar da reestruturação da dívida grega.

O relatório de emprego do mês de janeiro nos Estados Unidos é um dos dados econômicos mais aguardados nesta manhã. O documento irá trazer os números dos postos de trabalho criados no período, bem como a taxa de desemprego e a média de horas trabalhadas por semana.

Ainda no âmbito internacional, o HSBC revelou o PMI (Purchasing Managers’ Index) de serviços da China, apontando para uma estagnação do setor no país. Depois de registrar 50,8 pontos em dezembro, o índice se contraiu para 49,7 pontos no primeiro mês de 2012. Já o indicador composto da Zona do Euro, da Markit, alcançou 50,4 pontos.

Os investidores também repercutem a fala de Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve, no dia anterior, de que não deseja ajudar a Zona do Euro, e sim se blindar da crise de lá. Ele também afirmou que a atual retomada da atividade nos EUA é menor do que a desejada. Para Jason Vieira, da Cruzeiro do Sul Corretora, a reversão dos problemas financeiros ainda é muito frágil neste momento.

Análises de mercado
O diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, Octavio de Barros, destaca o aumento da prudência por parte dos investidores devido à expectativa sobre o fim das negociação entre o governo grego e os credores privados. “Acreditamos que este cenário de cautela deve contaminar o mercado doméstico fazendo com que a bolsa brasileira registre estabilidade no pregão de hoje, podendo reagir positivamente caso os resultados sobre o mercado de trabalho norte-americano não decepcionem”.

Enquanto isso, Régis Chinchila, analista técnico da Gradual Investimentos, constata que o Ibovespa segue em tendência de alta, confirmando o rompimento da resistência em 63.900 pontos. “As próximas barreiras importantes estão em 65 mil, 65.150 e 67.450 pontos. Há algum sinal de realização mais acentuada, voltando a operar abaixo de 63.900 pontos e principalmente do suporte em 62.700 pontos”.

Agenda
Além do Relatório de Empregos, os norte-americanos divulgam também os novos pedidos à indústria do país e o ISM (Institute for Supply Management) de serviços de lá. No Brasil não há dados revelantes a serem conhecidos durante o dia, mas deve haver influência do resultado da Localiza (RENT3) na véspera, quando a empresa comunicou um lucro líquido 13,4% maior no quarto trimestre de 2011.

Destaques do pregão
Entre as maiores quedas da carteira teórica do Ibovespa neste início de sessão, destaque para as ações de PDG Realty  (PDGR3, R$ 7,37, -2,12%), JBS (JBSS3, R$ 6,32, -2,02%), Lojas Americanas (LAME4, R$ 16,67, -1,77%), B2W (BTOW3, R$ 10,35, -1,71%) e CSN (CSNA3, R$ 17,90, -1,54%).


 

Contato