Em mercados

Ibovespa opera em queda com Zona do Euro novamente no radar do mercado

Títulos de curto prazo italianos têm rendimento recorde; economia brasileira aponta contração no mês de setembro

SÃO PAULO - O Ibovespa inicia o pregão desta sexta-feira (25) em queda de 0,72%, aos 54.883 pontos, refletindo o pessimismo das bolsas internacionais com a frustração com a emissão de títulos públicos na Itália

O Tesouro italiano emitiu papéis de seis meses e de dois anos, sendo que nos dois casos o prêmio demandado pelos investidores saltou sobre as colocações de outubro, atingindo novos recordes. No papel de prazo mais curto, o rendimento passou de 3,53% para 6,50%, enquanto no mais longo a alta foi de 4,63% a 7,81%.

Em um cenário já de aversão ao risco, também pressiona sobre os mercados o corte no rating da Hungria pela Moody's, levando à perda do grau de investimento do país, diante das incertezas sobre o país cumprir com as medidas de consolidação fiscal e, assim, reduzir a dívida pública.

Ações
Entre as maiores quedas do Ibovespa nesta sessão, destaques para as ações de Eletrobras (ELET3, R$ 15,72, -2,24%), Lojas Renner (LREN3, R$ 49,42, -1,87%), Santander (SANB11, R$ 12,62, -1,87%), Pão de Açúcar (PCAR4, R$ 61,82, -1,70%) e GOL (GOLL4, R$ 12,38, -1,59%). 

Análises
As incertezas sobre o alcance de um consenso dos líderes europeus para solucionar a crise vem pressionando as bolsas de valores pelo mundo, segundo o diretor de Pesquises e Estudos Econômicos do Bradesco, Octavio de Barros. “Com isso, acreditamos que a bolsa brasileira obtenha variação negativa neste pregão”, avalia.

Já o analista gráfico da Gradual Investimentos, Régis Chinchila, afirma que o Ibovespa segue em movimento de baixa, testando o patamar de 55 mil pontos, mas com suporte mais importante em 53.200 pontos. “Um repique de alta encontrará resistências entre 56.100 pontos e 57.300 pontos”, diz.

Economia brasileira se contrai em setembro
Por aqui também não há indicações positivas, ao menos por ora. Segundo dados da Serasa Experian divulgados nesta manhã, a economia brasileira contraiu 0,1% em setembro, na comparação com agosto. Em base anual, o indicador mostrou alta de 2,0%.

Em comunicado de divulgação dos números, os economistas do Serasa Experian afirmaram que "o quadro atual de redução dos juros e de afrouxamento das condições de crédito deverá trazer algum alívio para a atividade econômica neste último trimestre do ano, porém impactos favoráveis mais significativos destas medidas deverão ser observados somente a partir de 2012".

Volume deve ser menor
Além do mais, o volume negociado na BM&F Bovespa poderá, novamente, ser menor que o normal, segundo o analista técnico da Souza Barros, Eduardo Matsura, uma vez que, na esteira do feriado do Dia de Ação de Graças, nos EUA, ocorre o Black Friday, evento em que grandes de varejo norte-americanas oferecem grandes descontos. Por lá, não estão previstos indicadores econômicos de grande relevância e as bolsas encerrarão as atividades às 16h00 (horário de Brasília).

 

Contato