Em mercados

Ibovespa segue em forte alta em meio a expectativas positivas na Europa

Bons ventos ganham sessão, e carteira do principal índice da bolsa brasileira não registra nenhum sinal negativo

SÃO PAULO - Em forte alta desde a abertura, o Ibovespa apresenta alta de 2,77% no início da tarde desta sexta-feira (21) e atinge 55.504  pontos, com volume financeiro de R$ 1,64 bilhão às 12h49.

O principal índice da bolsa brasileira acompanha de perto a expectativa do início da reunião de líderes europeus que irá se estender pelo final de semana da qual poderão sair, como muitos analistas especulam, decisões sobre reformas mais incisivas frente à crise na região.

Expectativas
Em linhas gerais, espera-se a ampliação do EFSF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira) para cerca de € 1 trilhão, além de medidas referentes à participação do setor privado na reestruturação da dívida grega, bem como a discussão de uma maior integração dentro do bloco no sentido da criação de títulos comuns no futuro próximo.

Em razão da alta importância da reunião e da ausência de indicadores e resultado corporativos relevantes na agenda, o Ibovespa tende a permanecer diretamente atrelado a eventuais novidades no velho continente.

Altas e baixas? Não, só altas
Com nenhuma ação do Índice em queda no momento, o principal destaque positivo fica com as ações da Fibria (FIBR3), que registram valorização de 6,49% e são cotadas a R$ 15,42. Apesar dessa variação, a baixa acumulada desde o início do ano chega a -41,08%.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 FIBR3 FIBRIA ON 15,42 +6,49 -41,08 16,76M
 KLBN4 KLABIN S/A PN 6,17 +6,01 +9,99 6,10M
 GFSA3 GAFISA ON 6,10 +4,63 -48,10 15,24M
 MMXM3 MMX MINER ON 6,93 +4,37 -38,29 15,36M
 DTEX3 DURATEX ON 8,95 +4,31 -39,03 4,83M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)


Bolsas internacionais
Nos EUA, os principais índices de ações avançam cerca de 1,8% até o momento, diretamente influênciados pelo front europeu. A exemplo da bolsa brasileira, Wall Street não conta com indicadores relevantes na agenda, nem números de peso na safra de resultados trimestrais.

Enquanto isso na Europa, as principais bolsas do continente caminham para fechamento com superior a 2,5%, com ganhos diretamente atrelados a expectativas positivas acerca das resoluções decorrentes do encontro de líderes da região em Bruxelas.

Juros e câmbio
Após ter trabalhado na véspera influenciadas pela decisão, já esperada, do corte de 0,50 ponto percentual da taxa básica de juro, as taxas dos principais contratos de juros futuros operam no terreno da instabilidade nesta sexta-feira.

Por fim, o dólar comercial está sendo cotado a R$ 1,7730 na compra e R$ 1,7750 na venda, forte baixa de 0,78% em relação ao fechamento anterior.

 

Contato