Em mercados

Proposta de aumento do teto da dívida dos EUA é aprovada pelo Senado

Por 74 votos a favor contra 26, plano para evitar o calote do país precisa apenas ser aprovado por Obama para entrar em vigor

SÃO PAULO - Chegando perto do prazo final para os Estados Unidos elevarem o teto de sua dívida, o Senado norte-americano aprovou na tarde desta terça-feira (2) por 74 votos a 26 a proposta de elevação do limite de endividamento do país, atualmente de US$ 14,3 trilhões.

Na noite da segunda-feira (1), o projeto acordado entre republicanos e democratas já havia passado pela câmara de deputados por 269 votos a 161. O plano prevê um corte de US$ 2,1 trilhões do déficit do país, com cortes dos gastos públicos do país na mesma proporção nos próximos 10 anos, além de também não elevar os impostos.

Com a aprovação da câmara e agora do Senado, é necessário apenas que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sancione o projeto para que ele comece a entrar em vigor. O presidente deve fazer um pronunciamento ainda nesta tarde.

Efeito nulo no mercado
A aprovação por parte do Senado teve uma resposta neutra por parte do mercado, com as principais bolsas mantendo as mesmas perdas relatadas antes do anúncio. Em Wall Street, Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq seguem caindo mais de 1%, mesma trajetória mantida pelo Ibovespa.

 

Contato