Em mercados

Ibovespa abre em alta e recupera parte das perdas da semana anterior

Equipe da LCA revela expectativa de alta para esta segunda-feira, já que os preços atrativos devem atrair investidores

SÃO PAULO - O Ibovespa registra alta de 0,22%, aos 62.834 pontos, em um movimento de recuperação após o desempenho negativo da bolsa paulista observado na semana anterior. Apenas na última sessão, o principal índice acionário da BM&F Bovespa recuou 1,22%, perdendo a marca dos 63 mil pontos.

No exterior, as principais referências para o mercado de ações também apontam para uma sessão de leve ajuste positivo, após a sequência recente de perdas. Nos EUA, os principais contratos futuros sobre índices de ações operam em alta, impulsionados por notícias de aquisições no cenário corporativo, enquanto na Europa os papéis do setor bancário se destacam no campo positivo.

Ações
Por aqui, o destaque fica por conta das ações ordinárias da LLX Logística (LLXL3, R$ 4,70, +1,73%), da Cosan (CSAN3, R$ 23,75, +1,66%), preferenciais da Braskem (BRKM5, R$ 23,74, +1,58%), ordinárias da Brasil Ecodiesel (ECOD3, R$ 0,70, +1,45%) e preferenciais da TIM Participações (TCSL4, R$ 7,68, +1,32%).

Análises
Após a queda do Ibovespa na última semana, quando o desempenho acumulado dos cinco pregões indicou um movimento negativo de 2,55%, a equipe da LCA consultoria indica que o nível de preços no mercado acionário deve atrair compradores nesta segunda-feira. Assim, a expectativa para o pregão é de alta.

PIB e inflação em ritmo de alta menor
Para este pregão, os investidores possuem poucas referências na agenda de indicadores para avaliar. No entanto, ganha destaque a divulgação do relatório semanal Focus, o qual revelou a queda nas projeções para o crescimento da economia brasileira e para a inflação.

Quanto à primeira, o PIB (Produto Interno Bruto) deverá se elevar em 3,96% no ano, valor 0,04 ponto percentual menor que o revelado na semana anterior, enquanto a expectativa dos economistas ouvidos pelo Banco Central é de que a inflação chegue ao final do ano em 6,19%, marca 0,03 ponto percentual inferior ao indicado anteriormente e, o que configura a sexta retração consecutiva na projeção.

Ainda nesta manhã o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) divulgará os números da balança comercial referente à última semana.

Crise grega
No plano internacional, o destaque deve permanecer por conta da situação fiscal na Grécia, evento que gera discussões entre a Alemanha e o BCE (Banco Central Europeu). Enquanto a autoridade monetária da Zona do Euro é contra a participação involuntária dos investidores privados no resgate, o governo alemão defende que tais credores devem participar da operação de auxílio à Grécia.

 

Contato