Em mercados

O que são ETFs?

Conhecidos como fundos de índice, os ETFs buscam obter o retorno com base em determinado índice de ações, com suas cotas negociadas em bolsa; maior vantagem é a facilidade ao investir

SÃO PAULO - Facilidade. Essa é a palavra mais pronunciada pelos especialistas de mercado quando o assunto é ETF (Exchange Traded Funds). Conhecidos como fundos de índice, os ETFs buscam obter o retorno com base em determinado índice de ações, com suas cotas negociadas em bolsa.

Na prática, eles representam uma fração ideal da carteira da qual farão parte - ou seja, representam todas as ações que compõem a carteira teórica do índice usado como referência, além de outros ativos, em menor proporção. Portanto, é uma alternativa que possibilita ao investidor o acesso a uma carteira diversificada sem que ele tenha que aplicar individualmente em todos os papéis que compõem esta carteira.

Assim, o que torna os ETFs um tipo de investimento prático é o fato de que com eles o investidor não precisa administrar todas as ações individualmente nem arcar com o custo para comprá-las e vendê-las de forma a manter a composição do índice de referência.

Mais prático que um fundo de ações
Além disso, se você for investir hoje em um fundo de ações, vai pegar a cota de amanhã, e nem sabe ainda qual será. A mesma coisa acontece quando você sai de um fundo de ações: você pede o resgate em um dia e pega a cota de um outro dia. Isso não acontece com os ETFs.

“Um ETF é um jeito passivo de investir: você aplica em um índice. Se você pensar no Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo, que agrega as empresas mais líquidas), nós temos produtos que reproduzem esse índice. É um jeito muito transparente e eficiente em custo de se investir. Não temos de pensar nas empresas específicas e seus pesos. É um jeito de acessar um mercado”, explica o diretor executivo da BlackRock para a América Latina e Iberia, Armando Senra.

Portanto, o ETF aparece como uma alternativa interessante para quem quer investir no mercado de ações e não tem tempo ou disposição para escolher ações individuais. Basta comprar, por exemplo, um ETF que reproduz um índice de mercado mais amplo, como o Ibovespa, o IBrX-50 ou o IBrX-100, e, pronto, já está investindo de forma eficiente e diversificada.

Embora muitos ainda tenham dúvidas sobre como investir em ETF, o processo é simples e segue a forma tradicional de aplicar em ações. O investidor deve procurar uma corretora de valores, criar uma conta e fazer as ordens como se estivesse lidando com papéis individuais.

 

Contato