Operação em xeque

Musk ameaça novamente não comprar mais o Twitter (TWTR34); ação fecha em queda, mas se afasta das mínimas

Um porta-voz do Twitter diz que a empresa “pretende fechar a transação e fazer valer o acordo no preço e nos termos combinados”.

Por  Equipe InfoMoney -

O empresário Elon Musk, dono da Tesla (TSLA34), solicitou ao Twitter (TWTR34) mais informações sobre contas usadas apenas como “spam” na rede social.

Além disso, o executivo registrou na Securities and Exchange Comission (SEC) essa solicitação, que inclui uma ameaça de desistir da compra da empresa. As ações do Twitter fecharam em queda, mas longe das mínimas do dia de cerca de 5% nesta segunda-feira (6): a baixa foi de 1,52%, a US$ 39,55.

Musk anunciou anteriormente que compraria o Twitter, mas agora há dúvidas sobre se haverá de fato a conclusão do negócio.

O empresário tem reclamado que a rede social não informaria claramente quantas contas de fato são de usuárias da plataforma e quantas seriam de perfis falsos, apenas para replicar conteúdo.

No documento registrado na SEC, Musk diz que enviou nesta segunda-feira uma carta ao Twitter para reiterar sua solicitação por dados e informações para saber ao certo o quadro sobre as contas falsas ou de spam na rede.

Na carta ao Twitter, Musk pressiona pelas informações e diz não entender a relutância da empresa em permitir que ele avalie de modo independente as estimativas da rede social sobre o tema.

Ele afirma que o Twitter resiste e que isso constitui uma “clara ruptura substancial” das obrigações da empresa e que, com isso, pode lançar mão de seu direito de não consumar o negócio.

Já um porta-voz do Twitter afirmou nesta segunda-feira que a companhia “continuará a compartilhar de modo cooperativo informações com o sr. Musk, a fim de consumar a transação de acordo com os termos do acordo de compra”.

O porta-voz da empresa diz que o Twitter “pretende fechar a transação e fazer valer o acordo no preço e nos termos combinados”.

(com Estadão Conteúdo)

Transforme seu FGTS em investimento: use até 50% do seu FGTS para investir na Eletrobras, a maior empresa de energia da América Latina.

Compartilhe