Radar InfoMoney

Mudanças na diretoria da OSX, 2 resultados, Petrobras e mais 8 agitam mercado nesta 4ª

Biosev e Tereos divulgaram seus números referentes ao quarto trimestre da safra 2013/2014; Graça Foster será ouvida no Senado na tarde de hoje

Por  Lara Rizério

SÃO PAULO – Além da “bateria de pesquisas eleitorais”, com destaque para a divulgação da pesquisas Ibope Vox Populi entre a noite da véspera e a manhã desta quarta-feira (11), o noticiário corporativo segue movimentado. Em destaque, a presidente da Petrobras, Graça Foster, será ouvida pela CPI Mista da Petrobras hoje, às 14h (horário de Brasília).

Será a quarta vez que Graça Foster comparecerá ao Congresso Nacional para explicar a compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, entre outros temas envolvendo a estatal. Na véspera, o ex-diretor de abastecimento da companhia, Paulo Roberto Costa, foi ouvido pela comissão. 

Biosev
A Biosev (BSEV3) informou que teve um prejuízo de R$ 1,07 bilhão no quarto trimestre da safra 2013/2014, quatro vezes maior se comparado a igual trimestre do exercício anterior. A companhia sucroalcooleira informou que o resultado foi afetado por eventos climáticos ocorridos em algumas regiões onde a empresa possui usinas, caso do Nordeste (seca) e Mato Grosso do Sul (geada). 

A companhia calculou um impacto de R$ 328 milhões para a safra 2013/14, da qual se refere o balanço, antes dos impostos. Houve também uma provisão de R$ 467 milhões referentes à baixa de imposto de renda do ativo diferido.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Biosev ficou negativo em R$ 469,710 milhões no trimestre.

Tereos
A Tereos (TERI3), que controla a Guarani, informou que teve um prejuízo líquido de R$ 8 milhões, ante perda de R$ 7 milhões registradas em igual trimestre do ano anterior. No acumulado da safra, o resultado foi positivo em R$ 33 milhões.

A companhia teve uma receita líquida de R$ 2,209 bilhões no último trimestre 2013/2014, superior em 10,3% ao intervalo 2012/2013. O Ebitda ajustado ao valor justo dos ativos biológicos (canavial) da Tereos teve alta de 32%, a R$ 131 milhões no quarto trimestre. A dívida líquida da Tereos subiu R$ 300 milhões na mesma base de comparação, para R$ 3,6 bilhões.

Tempo e Qualicorp
O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, a compra de empresas controladas pela Tempo Participações (TEMP3) pela administradora de benefícios de saúde Qualicorp (QUAL3), conforme publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira.

No início de maio, a Qualicorp havia anunciado que as empresas Connectmed e Gama Saúde, conjuntamente chamadas de Unidade Saúde Soluções, seriam incorporadas após reorganização societária feita pela Tempo.

O valor referencial da transação para a Qualicorp, baseado no pregão de 28 de abril, era de R$ 160 milhões, condicionado ao alcance de metas operacionais e financeiras futuras da Unidade Saúde Soluções.

Em documento submetido ao Cade, as companhias informaram que as empresas envolvidas no negócio oferecem acesso a redes credenciadas de prestadores de serviços, serviços terceirizados de suporte para assistência à saúde e serviços de administração de cuidados especializados.

OSX
OSX Brasil (OSXB3), empresa de construção naval do empresário Eike Batista e que está em recuperação judicial elegeu o executivo Vladimir Ranevsky como diretor-presidente. 

Ranevsky vai substituir Euchério Lerner Rodrigues, que permanece como membro do Conselho de Administração da companhia.

Ranevsky possui experiência na assessoria de gestão, organizando e reestruturando empresas em diversos segmentos industriais e de serviços, disse a OSX, em fato relevante.

Ambev
A agência de classificação de risco Moody’s reafirmou o rating Baa1 da Ambev (ABEV3), mas alterou sua perspectiva de positiva para estável, relfetindo a expectativa também estável para o governo e a improbabilidade de ação positiva no rating soberano no curto-médio prazo do País.

Segundo comunicado, os ratings da companhia são suportados pela representatividade da Ambev como uma das maiores cervejarias do mundo, com sua posição de liderança em alguns dos grandes mercados onde está presente, como o Brasil eo Canadá, além de sua diversificação geográfica e a competitiva rede de distribuição própria.

“Continuidade dos investimentos da empresa em inovação e marketing de produtos, juntamente com prudente gestão de custos de gestão e estratégia financeira, devem refletir em margens Ebitda relativamente estáveis ??e níveis de alavancagem e de liquidez muito confortáveis”, afirmou a agência.

Triunfo
O tráfego nas rodovias administradas pela Triunfo Participações (TPIS3) cresceu 5,5 por cento no ano até maio, na comparação anual, para 37,4 milhões de veículos equivalentes, informou a companhia nesta terça-feira.

A Triunfo também divulgou dados de movimentação do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), que está sendo administrado por consórcio formado pela empresa, além de UTC Participações, Infraero e a francesa Egis Airport Operation.

O total de passageiros que passaram pelo Aeroporto de Viracopos subiu 5,4 por cento em cinco meses e atingiu 4 milhões de passageiros, de acordo o relatório de dados operacionais.

Já a carga transportada no aeroporto foi de 91,5 mil toneladas, queda de 10,1 por cento na comparação anual. Nos cinco meses de 2014, passaram pelo aeroporto 53,7 mil aeronaves, aumento de 6,7 por cento ante os cinco primeiros meses de 2013.

De janeiro a maio, a movimentação de contêineres no terminal portuário de Portonave, em Navegantes (SC), também administrado pela empresa, subiu 4,6 por cento, para 281,6 mil toneladas.

A Triunfo também divulgou números de sua operação no setor de geração de energia, no qual o total vendido foi de 724,4 mil MWh nos cinco primeiros meses do ano, enquanto em maio o volume foi de 76 mil MWh.

Via Varejo
A Squadra Investimentos reduziu sua participação na Via Varejo (VVAR11), passando a deter 4,99 por cento das ações preferenciais da companhia, ou 31.485.600 papéis desta classe, segundo comunicado ao mercado nesta terça-feira.

Cremer
O Conselho de Administração da Cremer (CREM3) aprovou nesta terça-feira a emissão de 50 milhões de reais em notas promissórias comerciais.

Os títulos terão vencimento em 360 dias e pagarão juros de 100 por cento das taxas médias diárias dos Depósitos Interfinanceiros (DI) mais sobretaxa de 0,53 por cento.

Marfrig
A empresa de alimentos Marfrig (MRFG3) precificou nesta terça-feira emissão de 850 milhões de dólares em bônus de cinco anos ao par e com rendimento de 6,875 por cento.

Inicialmente, o yield estimado era de 7,25 por cento, mas a faixa indicativa foi reduzida posteriormente a 7 por cento, informou mais cedo o IFR, serviço da Thomson Reuters.

A demanda pelos papéis superou os 5 bilhões de dólares, segundo o IFR.

Os recursos levantados pela companhia serão usados para a recompra dos títulos com vencimento em 2017 que tinham taxa de juros fixa de 9,875 por ento, títulos com vencimento em 2021 com taxa de juros fixa de 11,25 por cento e para o refinanciamento de dívidas bancárias existentes, disse a Marfrig, em comunicado.

Klabin
A fabricante de papel Klabin (KLBN11) informou na terça-feira que a sua sétima emissão de debêntures foi totalmente subscrita durante o período de sobras, em um total de 36,9 milhões de papéis, segundo aviso aos acionistas.

A emissão, de 800 milhões de reais, é parte do financiamento do projeto de construção de uma fábrica de celulose em Ortigueira (PR).

O prazo de subscrição de sobras encerrou-se em 6 de junho. Segundo o comunicado, após a subscrição de sobras e o exercício de direito de preferência, todas as 55,555 milhões de debêntures de foram subscritas.

Embraer
O Conselho de Administração da Embraer (EMBR3) aprovou o pagamento de 36,7 milhões de reais, ou 0,05 real por ação, em juros sobre capital próprio referentes ao segundo trimestre, em reunião realizada nesta terça-feira.

Terão direito ao recebimento os acionistas com base na companhia em 23 de junho e o pagamento será realizado a partir de 17 de julho, informou a Embraer.

Com Reuters

Compartilhe