Frigoríficos no radar

Ministério da Agricultura determina suspensão da produção de carne bovina para a China, diz jornal; BBI analisa impactos para setor

Se essa suspensão continuar, há um risco de queda das estimativas para produtores de carne bovina com operações no Brasil

arrow_forwardMais sobre

O Ministério da Agricultura do Brasil determinou nesta terça-feira (19) que os frigoríficos autorizados a exportar carne bovina para o mercado chinês suspendessem qualquer nova produção destinada ao país asiático, conforme publicação do jornal O Globo.

Ontem (19), a suspensão das exportações de carne bovina brasileira à China completou 45 dias.

O governo decidiu suspender novas produções da proteína devido à demora das autoridades chinesas em autorizar a retomada das compras da carne bovina brasileira, disse a publicação.

No texto do ofício, o governo do Brasil também autoriza estabelecimentos processadores de carne bovina habilitados a vender aos chineses a estocarem em contêineres refrigerados a proteína que produziram antes da data da suspensão. Esta medida é válida por 60 dias.

O Bradesco BBI comentou sobre suspensão das exportações de carne bovina brasileira à China e os possíveis impactos nas projeções de JBSS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3).

Leia mais: Agricultura esclarece que não há nova orientação sobre embarques de carne à China

Segundo o banco, se essa suspensão continuar, há um risco de queda das estimativas para produtores de carne bovina com operações no Brasil, uma vez que esses players podem precisar redirecionar parte das vendas que de outra forma teriam ido para a China para serem vendidas no mercado interno, onde as margens são menos atraentes.

O banco estima que a operação brasileira seja responsável por aproximadamente 15% da receita total da JBS e cerca de 20% da Marfrig.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

(com Reuters)

Curso inédito “Os 7 Segredos da Prosperidade” reúne ensinamentos de qualidade de vida e saúde financeira. Faça sua pré-inscrição gratuita.