Mills (MILS3) tem lucro líquido de R$ 66,7 milhões no terceiro trimestre, alta de 4,1% no ano

Empresa, que trabalha com a locação de equipamentos pesados, viu sua receita bruta avançar mais de 20% no ano

Equipe InfoMoney

Equipamento da Mills (MILS3) em operação (Divulgação)

Publicidade

A Mills (MILS3), companhia que trabalha com o aluguel de equipamentos pesados, registrou um lucro líquido de R$ 66,7 milhões terceiro trimestre de 2023, número 4,1% maior do que os R$ 64,9 milhões do mesmo período de 2022.

Em parte, a melhora acompanha o avanço de 22,1% da receita bruta, que chegou a R$ 324,6 milhões. A receita líquida, por sua vez, avançou 21,5%, para R$ 241,2 milhões.

“A receita de locação foi responsável por 94% desse crescimento, como reflexo principalmente da entrada no setor de linha amarela realizada em setembro de 2022 e do aumento da receita de locação em Leves, como resultado do melhor mix de equipamentos”, justifica a empresa no documento publicado na noite desta segunda-feira (13).

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Os custos dos produtos vendidos entre julho e setembro deste ano atingiram R$ 74 milhões, distribuídos da seguinte maneira: R$ 29,1 milhões referem-se a materiais de consumo (como pneus, baterias, tintas, materiais elétricos, hidráulicos etc.), R$ 17,8 milhões relacionados a pessoal, R$ 15,8 milhões relacionados a frete, R$ 3,9 milhões com custo de vendas e R$ 7,5 milhões com outros custos.

O lucro bruto ficou em R$ 219 milhões, ante R$ 174,1 milhões no mesmo período de 2022, sendo que a margem bruta saiu de 72,2% para 74,7%.

As despesas totalizaram R$ 67,0 milhões versus R$ 53,6 milhões no terceiro trimestre do ano passado, crescimento de 24,9%, ou R$ 13,3 milhões – o que a Mills explica devido principalmente ao aumento de R$ 11,1 milhões nas despesas de pessoal, participação nos resultados e plano de ações, como reflexo do aumento de filiais, expansão do volume de máquinas e crescimento aumento das despesas com Serviços
Gerais.

Continua depois da publicidade

O Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ajustado ficou em R$ 178,5 milhões, alta de 30,2% no ano, com a margem saindo de 48,1% para 59,3% “A melhoria de margem é consequência das melhores margens de locação, com diluição de SG&A e custos”, diz a empresa.

O resultado financeiro da Mills ficou negativo em R$ 23,9 milhões, ante saldo positivo de R$ 600 mil um ano antes – isso por conta da maior dívida bruta após captações de dezembro do ano passado e junho deste ano e também por conta do maior CDI médio. Ela fecha setembro com uma dívida líquida de R$ 381,3 milhões, ante R$ 60,7 milhões no mesmo mês de 2022.