A Hora das opções

Mercados em “modo pânico” com guerra comercial! Veja os melhores “pozinhos” para se beneficiar da volatilidade

Bolsas em forte baixa não indicam que não há diversas oportunidades para ganhos; confira no programa A Hora das Opções desta semana

SÃO PAULO – O Ibovespa caminha para sua pior sessão em quase três meses ao registrar forte queda de mais de 2,5% em meio ao novo capítulo da guerra comercial entre EUA e China, após o gigante asiático retaliar os americanos ao barrar a importação de produtos agrícolas e desvalorizar o yuan.

Lá fora, o movimento também é de forte queda com os investidores acionando o “modo pânico” em meio aos temores de que a guerra comercial possa avançar ainda mais. 

Contudo, não quer dizer que um mercado em forte baixa não possa trazer diversas oportunidades. Pelo contrário, há grandes chances de ganhar e se beneficiar da volatilidade, conforme ressalta o gestor  Luiz Fernando Roxo no programa “A Hora das Opções” desta segunda-feira (5), em que ele destaca como ganhar com os “pozinhos”. Confira assistindo ao player acima. 

PUBLICIDADE

A estratégia

A “estratégia dos pozinhos” consiste em se posicionar constantemente em opções bem fora do dinheiro (“out the money”), que dificilmente serão exercidas e estejam com um valor muito baixo, esperando uma valorização bastante considerável e gerando retornos expressivos. 

A operação pode ocorrer tanto com put (opção de venda) ou call (opção de compra), vendendo-as após uma forte alta nos preços. Se isso não acontecer, elas “viram pó”, perdendo totalmente o seu valor.

A opção é um derivativo negociado na Bolsa de Valores. E como qualquer derivativo, seu preço “deriva” da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia – no caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa.

Quem compra uma opção está adquirindo o “direito” de comprar ou vender alguma ação; já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato.

Ou seja: se você vendeu uma opção de compra e essa opção for exercida, você terá que vender essa ação ao detentor da opção pelo preço estabelecido; se você vendeu uma opção de venda e ela for exercida, você terá que comprar esta ação ao preço estabelecido. 

Existem dois tipos de opções: de compra (call) e de venda (put). Quando um investidor compra uma “call”, ele está adquirindo o direito de comprar uma determinada ação a um preço já estabelecido (que é preço de exercício, ou “strike”) até um dia de vencimento já firmado. Para o investidor que compra uma “put”, ele está adquirindo o direito de vender uma ação até um dia determinado a um valor já estabelecido.

PUBLICIDADE

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!

A HORA DAS OPÇÕES é um programa semanal, transmitido todas as segundas-feiras a partir das 14h40 pelo YouTube do InfoMoney. Nele, o especialista Luiz Fernando Roxo ensina sua estratégia do “pozinho” de acordo com as oportunidades do momento.