Comentário Diário

Mercados abrem em leve alta, mas abismo fiscal e teto da dívida preocupam

Geithner pressiona Congresso e diz que país atingirá o teto da dívida na noite de ano novo; Tesouro tomará medidas extraordinárias

PIB dos EUA é um dos destaques do mercado nesta sessão (ShutterstocK)

SÃO PAULO – Os últimos dias do ano são marcados pela cautela dos investidores diante do abismo fiscal nos EUA. Sem mostrar progresso nas negociações, ao menos ao público, fica cada vez mais próxima a ideia de que o país não conseguirá chegar a um consenso sobre as medidas que precisa tomar para reduzir o déficit público.

No entanto, na Europa, os principais mercados acionários retornam do feriado de Natal e registram leve alta. O único a destoar é o Ibex 35, de Madri, que marca leve queda.

Outro problema começa a tomar forma nos EUA. Timothy Geithner, secretário do Tesouro, alertou o Congresso na véspera que o país atingirá o teto da dívida pública na noite de ano novo. Geithner ainda diz que o Tesouro tomará algumas medidas extraordinárias para adiar essa data, caso contrário o país seria obrigado a dar calote em suas dívidas.

Essas medidas podem criar uma sobrevida de US$ 200 milhões ao teto da dívida. Isso pode dar ao país mais alguns meses de alívio na dívida, mas por conta do abismo fiscal esse efeito é incerto, alertou em carta enviada ao Congresso.

Segundo a imprensa internacional, os líderes do partido Republicano terão uma teleconferência nesta quinta-feira para discutir os próximos passos diante do abismo fiscal.

Em comunicado na última quarta-feira, o líder republicano John Boehner disse que a Câmara irá considerar qualquer legislação que o Senado aprovar – mas, para isso, o Senado deve agir primeiro.

Japão alcança máxima desde o tsunami
Do outro lado do mundo, o principal índice acionário do Japão, o Nikkei Stock Average, fechou em sua máxima desde março de 2011, um dia antes do terremoto e do consequente tsunami que devastou o país.

Essa alta recente é atribuída à expectativa por novas rodadas de estímulos por lá, depois que Shinzo Abe assumiu o posto de primeiro-ministro do país. Na espera pelo anúncio de um programa de compra de ativos e de uma meta de inflação mais alta – para combater a deflação -, o iene já cai para o seu menor nível ante o dólar desde setembro de 2010.

Agenda do dia
Na agenda desta quinta-feira, o investidor ainda deve acompanhar os pedidos iniciais de auxílio-desemprego, às 11h30 (horário de Brasília), assim como dados de venda de imóiveis novos para novembro e a confiança do consumidor em dezembro, ambos dados às 13h00.

PUBLICIDADE