CONTEÚDO PATROCINADO

Mercado de TI no Brasil cresce acima da média mundial

Investimentos em hardware, software e serviços no Brasil tiveram um crescimento de 9,2% em 2015, acima da média mundial de 5,6%

SÃO PAULO – Estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em parceria com o IDC mostra que os investimentos em hardware, software e serviços no Brasil tiveram um crescimento de 9,2% em 2015 sobre o ano anterior, acima da média mundial que foi de 5,6%. O Brasil se destaca como o primeiro em investimento no setor de TI na América Latina, respondendo por uma fatia de 45% da região, ou US$ 59,9 bilhões. Em seguida, vêm México, com 20% dos investimentos, e Colômbia, com 8%.

E a expectativa de crescimento do setor no País se mantem para 2016. Enquanto pesquisa mostra um crescimento global de 2,4%, o Brasil deve registrar uma alta de 3%. Por segmento, o mercado de serviços de TI no Brasil avançou 8,2% em 2015 ante 2014 (US$ 14,3 bilhões), o de software cresceu 30,2% (para US$ 12,3 bilhões) e o de hardware teve alta de 6,3% (para US$ 33,4 bilhões).

Servidores

PUBLICIDADE

Em 2015, o mercado mundial de servidores registrou alta de 6%, gerando uma receita de US$ 52,8 bilhões, concentrada em seis empresas: Cisco, HP, IBM, Dell, Oracle e Fujitsu. Entre essas gigantes, a Cisco foi a empresa que mais cresceu, registrando alta de 32%.

A empresa alcançou 43.800 usuários únicos dos seus servidores Cisco Unified Computing System (Cisco UCS), de acordo com dados da International Data Corporation (IDC). No Brasil, a Cisco possui 20% de participação do mercado nacional de servidores blades x86, e ocupa a segunda colocação na América Latina, região em que pretende investir mais nos próximos anos.

Os resultados obtidos no setor de servidores têm três motivos. O desempenho superior aos produtos encontrados no mercado. O Cisco UCS integra servidores baseados no processador Intel Xeon com acesso à rede e armazenamento em um sistema unificado, que conquistou mais de 100 recordes mundiais de desempenho. Contribuem também para esse crescimento, a atuação por meio de canais capacitados para vender e instalar equipamentos e a fabricação dos produtos no Brasil.

Cisco UCS