Lula lidera corrida ao Planalto com 46%, Bolsonaro tem 29%, diz Genial/Quaest

No cenário mais provável de um eventual segundo turno apontado pela pesquisa, entre Lula e Bolsonaro, o petista venceria por 54% a 34%

Reuters

Publicidade

SÃO PAULO (Reuters) – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a disputa pela Presidência da República na eleição deste ano e tem agora 17 pontos percentuais de vantagem sobre o segundo colocado, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que é candidato à reeleição, mostrou pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira.

De acordo com o levantamento, Lula tem 46% da preferência do eleitorado, contra 45% na pesquisa anterior realizada em abril, ao passo que Bolsonaro soma 29%, ante os 31% que tinha na pesquisa anterior.

Ciro Gomes (PDT) tem 7%, o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) soma 3%, mesmo percentual do deputado federal André Janones (Avante-MG). A senadora Simone Tebet (MDB-MS) e Felipe D’Ávila (Novo) têm 1% cada.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Pelos dados da pesquisa, Lula tem um percentual superior à soma dos demais adversários, embora a diferença esteja dentro da margem de erro. Se obtiver mais votos que a soma dos rivais no dia 2 de outubro, o petista se elege em primeiro turno.

No cenário mais provável de um eventual segundo turno apontado pela pesquisa, entre Lula e Bolsonaro, o petista venceria por 54% a 34%. Na sondagem anterior, o placar favorável a Lula era de 55% a 34%.

Na avaliação de Felipe Nunes, diretor da Quaest, decisões recentes de Bolsonaro, como a graça presidencial, uma espécie de perdão, ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), e os novos ataques do presidente ao sistema eletrônico de votação, afastaram eleitores mais moderados de Bolsonaro.

Continua depois da publicidade

“A graça presidencial ao deputado Silveira engajou os setores radicais da campanha, mas afastou o eleitor moderado que vinha se aproximando do presidente”, disse, segundo comunicado.

“Como os eleitores de Bolsonaro e Lula já estão definidos, é a faixa dos Nem-Um-Nem-Outro que vai decidir a eleição. Entre esses eleitores, 54% reprovam a ação do presidente, contra 17% que aprovam”, disse Nunes.

De acordo com a pesquisa, 45% dos entrevistados entendem que Bolsonaro agiu errado ao perdoar Silveira, ao passo que 30% entendem que o presidente agiu de forma acertada.

O levantamento também voltou a indagar sobre a confiança dos eleitores na urna eletrônica e 40% disseram confiar muito nelas –ante 41% da última vez que a pergunta foi feita em setembro. Ao mesmo tempo, 35% afirmaram confiar um pouco ou mais ou menos –contra 29% em setembro– e 22% afirmaram não confiar –ante 27%.

Ainda segundo o levantamento, 46% dos entrevistados têm avaliação negativa do governo Bolsonaro –ante 47% na pesquisa anterior–, 25% avaliam o governo positivamente –eram 26%– e 27% veem a gestão como regular –contra 25%.

O instituto Quaest entrevistou 2.000 pessoas pessoalmente entre os dias 5 e 8 de maio. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais. O levantamento foi encomendado pela Genial Investimentos.