Balanços

Lucro da Engie cai 58,4% no 2º trimestre e empresa cita efeito de impairment

A receita líquida totalizou R$ 3,133 bilhões, o que representa um incremento de 16,6% na comparação anual

Por  Ricardo Bomfim

SÃO PAULO – A companhia de geração de energia elétrica Engie (EGIE3) registrou um lucro líquido de R$ 319 milhões no segundo trimestre de 2021, queda de 58,4% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo demonstração de resultados divulgada nesta quinta-feira (5).

Já o Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciações e Amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) Ajustado da companhia somou R$ 1,532 bilhão, em uma expansão de 19,7% sobre o reportado no segundo trimestre do ano passado.

O Ebitda contábil, por sua vez, foi de R$ 1,369 bilhão, valor 4,4% inferior na base anual.

A receita líquida totalizou R$ 3,133 bilhões, o que representa um incremento de 16,6% na comparação anual.

Segundo a administração, a companhia registrou no segundo trimestre impairment (redução no valor de um ativo) em R$ 163 milhões, decorrente de ajuste de valor contábil relacionado ao Complexo Termelétrico Jorge Lacerda.

“Desconsiderando efeitos não recorrentes de impairment no segundo trimestre e ganho de ação judicial e créditos extemporâneos no mesmo período do ano passado, a variação do Ebitda passaria de um efeito negativo de R$ 63 milhões para positivo em R$ 252 milhões – crescimento de 19,7%”, explicou-se a gestão da Engie.

Em curso gratuito de Opções, professor Su Chong Wei ensina método para ter ganhos recorrentes na bolsa. Inscreva-se grátis e participe.

Compartilhe