Kora Saúde (KRSA3) tem lucro líquido de R$ 3,2 milhões no primeiro trimestre, queda de 93% no ano

Empresa viu entre janeiro e março alta de custos de serviços prestados, despesas operacionais e pior resultado financeiro

Vitor Azevedo

Estreia das ações da Kora Saúde (Foto: B3)

Publicidade

A Kora Saúde (KRSA3) lucrou R$ 3,2 milhões de forma líquida no primeiro trimestre de 2023, número 93% menor do que os R$ 47,1  milhões do mesmo período do ano passado.

A queda do lucro se dá mesmo com a receita da companhia tendo avançado 16% na mesma comparação, chegando a R$ 553 milhões.

“O crescimento da receita líquida foi positivamente impactado por: crescimento orgânico na base de hospitais já existentes; aumento de 2 pontos percentuais na taxa de ocupação saindo de 75,7% para 77,7%; run rate dos hospitais adquiridos; ampliação de especialidades médicas; novos procedimentos de alta complexidade”, fala a Kora Saúde no documento publicado na noite desta segunda-feira (15).

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A companhia fechou março com 2.103 leitos, sendo 1.743 operacionais. Estes últimos cresceram 7% no ano, com aquisições e acréscimo de leitos em hospitais já existentes.

“No primeiro trimestre, a companhia atingiu 121 mil pacientes por dia, volume 16% acima do mesmo período do ano anterior e 97% acima do reportado no primeiro trimestre de 2021”, destaca.

O custo de serviços prestados, contudo, avançou 22%, saindo de R$ 350,3 milhões para R$ 429 milhões. Os custos com pessoal totalizaram R$ 112,3 milhões, crescimento de 5% no ano, os custos de materiais saltaram 23%, para R$ 114,1 milhões, de olho na pressão inflacionária e na expansão.

Continua depois da publicidade

As despesas gerais e administrativas saltaram 24%, chegando a R$ 65,9 milhões. “Foram impactadas pelo efeito não-caixa de R$ 8,5 milhões, referente ao plano de remuneração baseado em ações”, falam.

O Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês), o lucro operacional, caiu, então, 4% na comparação anual, ficando em R$ 91,9 milhões. A Kora Saúde, contudo, destaca que o Ebitda ajustado, sem impacto de custos não recorrentes, principalmente no que tange a aquisições, teria ficado estável em R$ 112,1 milhões.

O resultado financeiro totalizou R$ 99,1 milhões no primeiro trimestre, alta de 85% no ano. A Kora Saúde fechou março com uma dívida líquida de R$ 1,8 bilhão, ante R$ 1,3 bilhão no mesmo mês de 2022.

“A dívida líquida, por sua vez, foi temporariamente impactada pelos maiores investimentos em capital de giro, especialmente em relação à recomposição da carteira de recebíveis, que totalizou R$ 934 milhões”, explica a companhia.