JSL (JSLG3) adquire empresa de transporte rodoviário FSJ por R$ 109 mi e analistas reforçam compra para ação

Analistas veem anúncio como positivo e alinhado com a estratégia ativa de fusões e aquisições da JSL

Equipe InfoMoney

Operação da JSL (Divulgação)

Publicidade

A empresa de logística JSL (JSLG3) anunciou nesta segunda-feira a compra da companhia de transporte rodoviário FSJ por R$ 108,6 milhões, dos quais 50% refere-se a pagamento à vista, segundo fato relevante ao mercado.

Segundo a JSL, a FSJ Logística vai adicionar R$ 300 milhões ao faturamento bruto do grupo, que totalizaria R$ 9,5 bilhões com base nos números do primeiro trimestre deste ano. No período, a FSJ teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de R$ 42 milhões.

A FSJ foi criada em 2015 no interior de São Paulo e atua com transporte rodoviário de cargas consolidadas, afirmou a JSL. Os clientes da companhia são empresas de varejo e comércio eletrônico.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A XP vê o anúncio como positivo e alinhado com a estratégia ativa de fusões e aquisições da JSL como complemento ao crescimento orgânico.

Leia também: Da JSL ao Grupo Simpar: a história da maior empresa de logística do Brasil, que faturou mais de R$ 24 bilhões em 2022

“Destacamos nesta operação que ela: (i) é de menor porte, que representa um crescimento de 3% na receita bruta consolidada da JSL; (ii) que reforça o posicionamento da JSL em clientes de varejo e e-commerce, ampliando os relacionamentos atuais e criando possibilidades de cross-selling à medida que expande sua operação “middle mile”; e (iii) os múltiplos de transação parecem positivos”, avaliam os analistas, reiterando recomendação de compra para a JSL.

O middle mile é referente ao processo de transportes intercontinentais, ou seja, aqueles que tendem a ser operacionalizados vias rodoviárias ou aéreas, nas quais os distribuidores, os atacadistas ou as redes de varejo transportam mercadorias dos CDs aos “Centros de Transbordo”.

Continua depois da publicidade

O Bradesco BBI, que também tem recomendação equivalente à compra para a ação (outperform, ou desempenho acima da média), com preço-alvo de R$ 13 (upside de 51%), aponta que a empresa está obtendo sucesso em sua estratégia de fusões e aquisições por meio de transações que podem fortalecer sua posição competitiva em mercados-chave.

“Destacamos que a aquisição da FSJ foi realizada a um valuation atrativo de 3 vezes o valor da empresa sobre o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EV/Ebitda), o que representa um desconto de 45% aos atuais múltiplos de negociação da JSL. Com base em nossas estimativas, este negócio pode agregar R$ 0,40 por ação JSL3”, aponta.

Com a mesma recomendação e preço-alvo para JSL do que o BBI, o Itaú BBA reforça a visão de que com a aquisição, a JSL ganhará exposição em mais uma etapa da logística dos players do varejo e e-commerce.

“A JSL já transporta bens de consumo dos centros de distribuição para as lojas, enquanto a FSJ transporta mercadorias de grandes centros de distribuição (CD) para CDs urbanos menores”, avalia.

(com Reuters)