Itaú (ITUB4) anuncia dividendos de R$ 1,12 por ação e novo programa de recompra

Este dividendo tem como base de cálculo a posição acionária final registrada em 21 de fevereiro de 2024

Felipe Moreira

O Itaú (ITUB4) anunciou nesta segunda-feira (5), junto com os resultados do quarto trimestre de 2023 (4T23), a aprovação de pagamento de dividendos e data de pagamento de proventos para os acionistas do banco.

O pagamento de dividendos e JCP se dará em 8 de março deste ano. Para dividendos, o valor é de R$ 1,125125 por ação referente ao exercício de 2023, em complemento aos valores já declarados anteriormente relativos ao mesmo exercício social.

Este dividendo tem como base de cálculo a posição acionária final registrada em 21 de fevereiro de 2024, totalizando o montante de R$ 11 bilhões.

O Conselho de Administração aprovou, ainda, o pagamento, também em 8 de março, dos juros sobre o capital próprio já declarados, conforme os fatos relevantes divulgados em:

Publicidade

“Portanto os acionistas que detêm ações nas posições acionárias citadas acima receberão em 8 de março de 2024 o montante de dividendos e JCP líquido de R$ 1,564184 por ação”, disse o banco.

Programa de recompra

Ainda em destaque, o Itaú aprovou programa de recompra de até 75 milhões de ações preferenciais, sem redução do valor do capital social, para manutenção em tesouraria, cancelamento ou recolocação no mercado. O programa terá um período de 18 meses.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Segundo o banco, o processo de aquisição das ações tem como potenciais objetivos: (i) maximizar a alocação de capital através da aplicação eficiente dos recursos disponíveis; (ii) prover a entrega de ações aos colaboradores e administradores da Companhia e de suas controladas no âmbito dos modelos de remuneração e dos planos de incentivos de longo prazo; (iii) prover a entrega de ações aos colaboradores no âmbito de projetos institucionais, tais quais de incentivo à inovação e eficiência; e/ou (iv) utilizar as ações adquiridas caso haja oportunidades de negócios no futuro.