IPCA, ata do Copom e balanços de Itaú, Bradesco e BB: o que acompanhar na semana

Tudo o que o investidor precisa saber antes de operar na semana

Camille Bocanegra

A agitação da semana passada, marcada pelas decisões de juros nos EUA e no Brasil, dá lugar para uma agenda econômica um pouco mais tranquila no Brasil e esvaziada lá fora. Os destaques dos próximos dias ficam por conta do IPCA e a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que realizou corte de 50 pontos base na taxa Selic na última semana.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

As atenções na semana se voltam para a apresentação do IPCA de janeiro, com previsão do Bradesco de alta de 0,34% na comparação mensal.

“Esperamos que a inflação apresente um aumento de 0,32% em relação ao mês anterior. A taxa anual provavelmente cairá para 4,4%, de 4,6% em dezembro. Em relação à inflação core, esperamos que o IPCA Ex-3 acelere para 2,6% (3mma saar, de 1,4% em dezembro), com serviços subjacentes mais elevados (5,3%, de 4,3%)”, considera a equipe econômica do Itaú.

Na segunda-feira, o Banco Central divulga, em nota à imprensa, os dados do setor externo de dezembro, com previsão LSEG de queda de US$ 7,5 bilhões. A expectativa do Bradesco é um pouco mais modesta e prevê -US$ 7,2 bilhões. O Índice PMI Composto será apresentada, pela Markit, com dados de janeiro ainda na segunda. No dia seguinte, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga o Índice Geral de Preços (IGP) de janeiro e o Banco Central (BC) trará a ata do Copom e a nota de política monetária e operações de crédito de dezembro.

A agenda de quarta será mais movimentada, com apresentação dos dados de Política Fiscal de dezembro pelo BC. Em relação à Pesquisa Mensal de Comércio de dezembro, apresentada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Bradesco estima alta de 0,9% na base mensal. O banco projeta, também, aumento de US$ 7,1 bilhões na balança comercial mensal de janeiro, que será divulgada pela Secex. A Anfavea trará os dados de produção e venda de veículos de janeiro e o BC apresenta os dados do Índice Commodities Brasil (IC-Br) de janeiro.

A semana será fechada com a Pesquisa Mensal de Serviços de dezembro, divulgada pelo IBGE, com projeção do Bradesco de crescimento de 1,2% na comparação mensal.

Com o retorno do recesso, o Congresso deve se debruçar sobre temas como medida provisória nº 1202, que visa reverter isenções fiscais sobre a folha de pagamento, e a segunda fase da reforma tributária. Além disso, os vetos do presidente Lula ao orçamento, que apresentou menos emendas parlamentares, e os debates sobre contingenciamento de gastos deverão atrair atenções em Brasília.

A temporada de balanços ganha força no Brasil, com destaque para os números da BB Seguridade (BBSE3) na segunda antes da abertura dos mercados, enquanto Cielo (CIEL3) e Itaú (ITUB4) divulgam no mesmo dia após o fechamento. Bradesco (BBDC4) divulga seus números na quarta-feira, antes da abertura, enquanto Banco do Brasil (BBAS3) revela seus dados na quinta, depois do fechamento, encerrando a temporada dos bancões.

Confira as datas:

5 de fevereiro

BTG Pactual
Itaú Unibanco
Banco BMG
BB Seguridade

6 de fevereiro
LOG Commercial Properties
TIM
Banco ABC Brasil

7 de fevereiro
Neoenergia
Klabin
Auren Energia (ex-CESP)
BrasilAgro
Alpargatas
Bradesco

8 de fevereiro
Multiplan
CCR
Banco do Brasil
Banco Pine
Raízen
São Martinho (3T24)

9 de fevereiro
Banrisul

PMI nos EUA e Europa

Lá fora, a agenda será esvaziada, com pouco indicadores divulgados. Na temporada de resultados dos EUA, haverá a divulgação de companhias como Disney, Paypal e Spotify. A safra de balanços por lá durará até março.

Os principais dados dos EUA serão apresentados na segunda-feira, com a divulgação do índice PMI composto de janeiro e o índice ISM do setor de serviços de janeiro, com expectativa LSEG de 52,1.

No mesmo dia, a Alemanha apresenta seu índice PMI S&P Global composto de janeiro, assim como a zona do Euro, e o Reino Unido trará seu índice PMI Composto. Na quarta-feira, o destaque fica para a produção industrial da Alemanha, que divulgará também seu índice de preços ao consumidor de janeiro na sexta-feira.

A China divulgará, na quarta-feira, seu índice de preços ao consumidor de janeiro, e trará dados de reservas internacionais, novos empréstimos e crédito agregado de janeiro, sem data marcada durante essa semana.