Comentário diário

Investidores temem crise na Europa e Ibovespa cai; dólar reduz alta após swaps

Mercado recua com as commodities caindo em meio ao sentimento negativo principalmente nos bancos da zona do euro

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Ibovespa opera em queda nesta quarta-feira (6) com as ações do mundo todo pressionadas com as consequências da saída do Reino Unido da União Europeia na economia de toda a região. O mercado ainda fica de olho na agenda de indicadores, com produção total de veículos e fluxo cambial por aqui e a ata da última reunião do Fomc (Federal Open Market Committee) nos Estados Unidos. A reunião da Comissão da Câmara dos Deputados sobre Petrobras e Exploração do Pré-Sal para discutir e votar parecer sobre mudanças na lei de exploração desse tipo de reservas também fica no radar. 

Às 11h32 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira caía 1,85%, a 50.883 pontos. Já o dólar comercial sobe 0,85% a R$ 3,3289 na venda, enquanto o dólar futuro para agosto tem alta de 0,66% a R$ 3,351. O dólar reduziu os ganhos depois do Banco Central colocar todos os 10.000 contratos de swap reverso ofertados nesta manhã. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 opera com ganhos de 4 pontos-base a 12,81% ao passo que o DI para janeiro de 2021 avança 9 pontos-base a 12,35%. 

Juro negativo
Lá fora, os juros dos títulos de 10 da Alemanha (-0,18%), Japão (-0,27%) e Estados Unidos (1,35%) atingem novas cotações mínimas em meio ao aumento da aversão ao risco. Vale lembrar que o rendimento desses bonds é inversamente proporcional ao preço, de modo que ele costuma cair quando a demanda por esses títulos aumenta. E a demanda por eles aumenta justamente em dias em que as ações caem globalmente porque eles são considerados ativos seguros, sem risco ou com praticamente nenhum risco de calote, servindo como verdadeiros “portos seguros” em mercados negativos

CCJ vota DRU
A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) deve analisar nesta quarta a proposta de emenda à Constituição (PEC 31/2016) que desvincula 30% das receitas da União, de estados e municípios, informou a Agência Senado.

Operação Lava Jato
A Polícia Federal cumpre na manhã desta quarta-feira (6) 10 mandados de prisão no Rio de Janeiro e em Porto Alegre em uma operação relacionada à Operação Lava Jato. A investigação apura irregularidades na Eletronuclear. O alvo principal é o ex-diretor-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro da Silva, que já cumpre prisão domiciliar.  Além dos mandados de prisão, também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão e condução coercitiva. 

Ações em destaque
As ações PNs da Petrobras (PETR3, R$ 11,22, -1,06%; PETR4, R$ 9,18, -1,18%) afundam 8% nos últimos dois pregões, em meio ao movimento de queda do petróleo no mercado internacional. Neste momento, o contrato Brent registrava queda de 1,04%, a US$ 47,46 o barril, enquanto o WTI caía 0,71%, a US$ 46,28 o barril.

No radar da Petrobras, a estatal informou que concluiu esta semana as investigações da comissão interna de apuração sobre desvios em contratos de fornecimento de mão de obra e prestação de serviços das empresas Hope e Personal e sobre o Benefício Farmácia, que verificaram desvios de normas e procedimentos internos que constituem violações passíveis de punições. As investigações apuraram o envolvimento de 26 pessoas e recomendaram sanções a 20 delas. A Petrobras conduz, regularmente, apurações internas de denúncias, além de encaminhar os relatórios finais às autoridades competentes.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 KROT3 KROTON ON13,26-4,26
 ESTC3 ESTACIO PARTON16,09-3,42
 CSNA3 SID NACIONALON8,35-3,02
 CCRO3 CCR SA ON15,89-2,52
 ECOR3 ECORODOVIAS ON7,57-1,82

PUBLICIDADE

 

 

Dentro do setor mais pesado no Ibovespa, o financeiro, bancos grandes caem. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 30,30, -1,21%), Bradesco (BBDC3, R$ 26,61, -1,37%; BBDC4, R$ 25,34, -1,40%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 16,78, -1,29%) recuam. Juntas, as quatro ações respondem por pouco mais de 20% da participação na carteira teórica do nosso benchmark.

Já a Vale (VALE3, R$ 15,99, -0,44%; VALE5, R$ 12,85, -0,39%) também cai, prejudicada pela queda do minério de ferro. A commodity spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao teve baixa de 0,52% a US$ 55,93.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 QUAL3QUALICORP ON17,95+1,36
 RUMO3RUMO LOG ON5,32+1,14
 ENBR3ENERGIAS BR ON13,99+0,72
 FIBR3FIBRIA ON22,60+0,71
 SBSP3SABESP ON29,02+0,66

 

Por outro lado, entre as altas estavam as exportadoras de papel e celulose. Fibria (FIBR3, R$ 22,56, +0,53%) e Suzano (SUZB5, R$ 12,02, +0,17%) operam com ganhos por conta do desempenho positivo do dólar. Por possuírem suas receitas na moeda norte-americana, essas empresas têm as suas rentabilidades aumentadas quando há valorização da divisa dos EUA ante o real.

Ata do Fomc
A lista de indicadores importantes desta quarta traz a ata do Fomc, que será divulgada às 15h00 (horário de Brasília). Apesar de importante, o documento deve trazer indicações defasadas, visto que a última reunião do Fomc se deu antes dos britânicos votarem a favor de uma saída da UE, fato que mudou toda a conjuntura macroeconômica global.  

Agenda política
A Comissão da Câmara sobre Petrobras e Exploração do Pré-sal faz reunião para discutir e votar parecer sobre mudanças na Lei de exploração do pré-sal, às 14:30. Já  a Comissão Especial do Impeachment do Senado faz sessão para oitiva da defesa de Dilma Rousseff, representada por Eduardo Cardozo, às 11:00. Destaque ainda para as notícias de que a meta fiscal de 2017 será de um déficit em torno de R$ 160 bilhões, um meio termo entre os R$ 150 bilhões pretendidos pela equipe econômica comandada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e os R$ 170,5 bilhões, idênticos ao deste ano, defendidos pela a equipe política palaciana liderada pelo ministro Eliseu Padilha, da Casa Civil.

PUBLICIDADE